22 junho 2015

Quartinho Montessoriano

Há algumas semanas fui convidada pela Cris Marques (querida que conheci há alguns anos naquele projeto da Cravo&Canela) e que escreve para a Revista Weekend, para contar um pouco sobre o quartinho do Matteo, que é Montessoriano. Vocês sabem como funciona o método Montessori?

Método Montessori é o nome que se dá ao conjunto de teorias, práticas e materiais didáticos criado ou idealizado inicialmente por Maria Montessori. De acordo com sua criadora, o ponto mais importante do método é, não tanto seu material ou sua prática, mas a possibilidade criada pela utilização dele de se libertar a verdadeira natureza do indivíduo, para que esta possa ser observada, compreendida, e para que a educação se desenvolva com base na evolução da criança, e não o contrário (via Lar Montessori).
Um resuminho das principais características de um quartinho Montessoriano:

- Quarto espaçoso e composto de poucos móveis; decoração minimalista
- Colchão no chão ou cama baixa
- Tudo ao alcance da vista e das mãos, inclusive objetos de decoração, quadrinhos, etc.
- Espelho na altura do bebê, para que ele possa se conhecer
- Barras (tipo aquelas de balé) fixadas nas paredes, para servirem de apoio e ajudarem o bebê a ficar em pé
- Cantinho da leitura (incentivar a leitura desde cedo é essencial!)
- Gavetões ou nichos baixos para guardar os brinquedos

A matéria ficou beeeem bacana e contou com outra entrevistada, a Bruna Filippozzi - mais uma querida amiga que a Cravo&Canela me deu - ela é mãe do Inacio e também utiliza o método:

Abaixo segue a entrevista completa, com todas as minhas respostas sobre o método e sobre como ele funciona na prática:


1. Por que você optou pelo método Montessori?
Na verdade não optei pelo método, ele optou por nós. Antes de Matteo nascer eu não conhecia o método Montessori, então montei um quartinho padrão, berço, cômoda, poltrona de amamentação. Conforme ele foi crescendo e chegando na fase de “chão”, que é quando começa a engatinhar, fui percebendo nele a necessidade de ter as coisas ao seu alcance, de ser mais livre e independente. Aí conheci o método e fui adaptando aos poucos, experimentando, estudando...
2. O Matteo tem um quarto todo montessoriano ou apenas um cantinho?
Hoje o quarto dele é todo montessoriano, porque há dois meses nos mudamos e, como refiz tudo, aproveitei para ajustar as coisas que foram adaptadas no quarto antigo.
3. Como foi essa adaptação do ambiente? Que móveis e objetos foram usados?
O berço foi transformado em caminha, mas como era alta, pedi para o marneceneiro cortar os pés, então ele usa uma cama quase encostada no chão. Fizemos um armário com gavetões coloridos na parte de baixo, ali ficam os brinquedos que ele mesmo pega quando quer. Acima ficam as roupas. Ele tem também um cantinho de leitura, com prateleiras baixas, onde ele tem livre acesso aos livros. E temos um cabide baixo onde colocamos a roupa da próxima troca. Ele ainda é novinho, mas em breve ele mesmo vai escolher as roupas e colocar alí, faz parte do método. Atrás da porta fica o espelho. Não utilizamos as barras porque ele já anda e se levanta sem apoios.
4. Quando foi isso?
Começamos com o método quando Matteo começou a engatinhar e eu vi a necessidade de deixa-lo mais solto, livre. Ele acordava no berço e ficava muito irritado por estar preso. Aí fui adaptando as coisas no quarto antigo, experimentando e vendo como ele reagia. Ao lado do berço montei uma caminha no chão e passei a coloca-lo para dormir alí nas sonecas do dia, durante a noite ainda o mantinha no berço.
5. Como foi a recepção por parte do Matteo?
Era nítida a diferença. Ele dormia melhor, acordava e não chorava, apenas se levantava e engatinhava até algum brinquedo. Tinha autonomia de escolher para onde iria, o que faria. Ele ficou mais calmo e mais corajoso, passou a experimentar mais.
6. Você consegue ver evolução no desenvolvimento dele por ter optado por esse tipo de decoração?
Muito! Matteo sempre demonstrou querer ser livre, parecia ser uma urgência, uma característica bem forte da personalidade dele. E eu queria entender meu filho, precisava ler os sinais que ele me enviava, o porquê de sua irritação em determinadas situações. E essa leitura foi ficando óbvia. Ele se irritava quando preso ou limitado, e se soltava quando livre. Quando eu entendi isso e passei a permitir que ele pudesse fazer as próprias escolhas, houve um salto no desenvolvimento. Ele demorou a engatinhar, começou aos 10 meses. E foi quando iniciamos essas mudanças. Mas antes de completar um ano, já estava andando. A partir daí, foi tudo muito rápido.
7. O espelho é um objeto importante nessa decoração, você optou por ele? Se sim, de que material ele é feito e como foi fixado no espaço?
Sim, temos um espelho colado atrás da porta do quarto. Ele interage com espelhos desde sempre, então fizemos questão de ter um para ele. Alí ele se reconhece, ri para si mesmo, conversa, aponta, faz dancinhas. É um espelho comum, com espessura de 3mm, coloca com fita dupla face (aquela mais gordinha), que é super resistente e não descola. Assim acho mais seguro que utilizar um espelho pendurado em uma moldura, que pode cair e quebrar.
8. O método defende a independência da criança. Como você faz para garantir que o Matteo fique mais livre, mas, ao mesmo tempo, seguro?
Tudo precisa ser adaptado. Ele tem independência sim, mas só tem acesso àquilo que pode ser acessado. Então os gavetões de brinquedos do quarto são livres, as gavetas de roupas também, não há risco de se machucar, no máximo acontece uma bagunça, rs. Já nas gavetas de remédios e objetos perigosos, utilizamos travas. Hoje moramos em apartamento, então todo o ambiente é adaptado, todas as gavetas e portas que representam algum risco contém travas. As portas dos ambientes têm protetores de espuma para ele não machucar os dedos, por exemplo. Os banheiros ficam sempre fechados. E antes, quando morávamos em uma casa com escada, instalamos portões para limitar o acesso. Ou seja, é uma liberdade que precisa ser minuciosamente pensada para que haja segurança, isso é imprescindível.
9. A cama dele é baixa? Se sim, não é complicada essa “independência” dele sair sozinho "por aí" no meio da noite, por exemplo? (Não só pela questão da segurança, mas também por atrapalhar o sono ou coisas assim)
Sim, transformamos o antigo berço em cama e pedimos para cortar os pés, para que a caminha ficasse bem baixa, quase encostada no chão. A questão dele sair sozinho por aí é simples: quando ele dorme, restringimos o acesso dele à casa. Fechamos a porta que vai para os quartos, então se ele levantar vai ter acesso só ao quarto dele e ao meu, não vai conseguir ir para os outros ambientes sozinho.
10. Ter as coisas na mão incentiva que ele as use? E a organização depois, como é que fica?
Incentiva bastante. Na cozinha, por exemplo, temos uma gaveta onde guardamos as coisas dele, prato, talheres, copos. Na hora das refeições ele mesmo pega as coisas, assim ele se sente inserido na rotina, participativo. Quando sente sede, pega a água e bebe sozinho. Atualmente ele tem adorado desenhar, então deixo uma cartolina branca no chão do quarto e um caixinha com giz de cera. É a primeira coisa que ele faz quando acorda, desce da cama, pega um giz e senta para desenhar, sem precisar me pedir nada. Quando enjoa, abre uma gaveta e escolhe um brinquedo. Como ele ainda fala muito pouco, ter as coisas na mão incentiva que ele faça aquilo que gosta na hora que quer.
Sobre a questão da organização, qual casa com criança é organizada? Não conheço, rs...
11. Para você quais os pontos fortes desse tipo de decoração e, consequentemente, de método?
Permitir que meu filho seja independente, sem forçar a barra, respeitando seu tempo e suas vontades. A personalidade dele me pediu isso e eu sinto sua satisfação, então não tenho dúvidas de que fizemos as melhores escolhas.
12. Você indicaria para outras mães? Se sim, quais seriam as suas dicas para quem quer adotar esse tipo de quarto?
Eu acredito muito que toda mãe sabe entender as necessidades de seu filho, de uma forma ou de outra, aprendemos a entendê-los, a ler suas necessidades e vontades. Matteo sempre teve urgência em ser livre e independente, ele me pediu isso. Por isso falo que não escolhi o método montessoriano, foi ele que nos escolheu. É uma escolha bastante particular e precisa levar em conta diversos fatores, mas para nós foi maravilhoso, então indico com certeza.
Montar um quarto Montessori é fácil, existe muito material na internet para se pesquisar, imagens de referência, tudo. A melhor dica que eu posso dar é que, ao optar por esse tipo de decoração, os pais estejam sempre muito atentos a todos os itens de segurança. Colocar-se na posição da criança é bem útil, vale engatinhar pela casa mesmo, para ver as coisas pelo ângulo que eles vêm, e assim conseguir entender onde estão os possíveis riscos. Estando tudo adaptado e seguro, é incrível ver nossos filhos livres, felizes, independentes, crescendo e aprendendo.
Mais algumas fotos do quartinho do Matteo:






Para quem quiser conhecer mais, seguem links de algumas matérias com várias dicas e imagens pra se inspirar:

- O beabá do quarto Montessoriano
- Decoração: quarto Montessoriano
- Quarto Montessoriano: o que é e como fazer
29 maio 2015

#lookdodia

Jeans Renner | Blusa Marisa | Botas Cravo & Canela
28 maio 2015

#lookdodia

Calça C&A | Camiseta Hering | Casaqueto Emme | Sapato Via Uno
27 maio 2015

#lookdodia

Usar uma camisa aberta, fazendo as vezes de um blazer, nos dias mais quentes é um truque beeeem legal e deixa o look mais arrumadinho e interessante. Que tal?

Jeans Renner | Camiseta Wallmart | Camisa Emme | Sapato Lara Costa | Colar Accessorize
22 maio 2015

Matteo - 1 ano

Matteo está hoje com 1 ano e 7 meses, mas quero mostrar aqui como foi a festinha de 1 ano dele.

Tudo MUITO simples. Resolvemos fazer uma festa em casa, apenas para os familiares mais próximos mesmo. Nós não somos muito festeiros, então até cogitei a possibilidade de não fazer nada, mas acabei optando por uma comemoração simples, porque afinal, temos muito a comemorar, e para termos a lembrança em fotos desse dia marcante.

Algumas mães optam por fazer festonas em buffet para comemorar o primeiro ano de seus filhotes, mas eu não quis. Matteo aproveitaria muito pouco (tanto que, mesmo em casa, ele passou metade da festa dormindo e a outra metade chorando, rs...) e essas festas, para mim, são um tanto quanto artificiais. Eu queria uma festa parecida com as que minha mãe fazia pra mim, em casa, simples, sem decorador e animador, sem comidas malucas que criança não come, sem firulas.

Bom, a festinha aconteceu no apto. da minha mãe, que é maior e mais espaçoso. O tema escolhido foi Backyardigans, porque na época era o único desenho que Matteo gostava de ver, ele não é muito fã de TV. A decoração com casinhas feitas de isopor, no maior estilo festas infantis dos anos 80, foi feita pela minha sogra - e eu achei retrô e liiiiindo! Docinhos simples (brigadeiro e beijinho no copinho, e mini tortas holandesas, também no copinho), salgadinhos e suco. As suqueiras e as garrafinhas com canudo deram um toque especial. O bolo foi um problema, a boleira me avisou na última hora que não ia conseguir faze o que pedi, e fez uma caca, rs... Mas faz parte.







 

Nosso garotinho

Posts Relacionados