30 setembro 2010

Como é que a gente faz pra ser feliz?


Estive pensando, nesses últimos dias, no quanto a sensação de felicidade é relativa. Analisando meus últimos meses, eu diria que nada, absolutamente nada mudou. E, no entanto, porque parece tudo tão diferente?? 

Vocês acompanharam mais ou menos que, há poucos meses, tive uma crise de stress chatinha causada por 6 anos sem férias, muitas obrigações e uma pitadinha de ansiedade. Minha vida não perdeu a cor, mas ficou desbotada. Cansaço, insônia, preguiça. A sensação que dá é que tudo é pesado demais, é de que trabalhar não é mais tão bom, cuidar do blog é cansativo, fazer planos pra quê? 

Só que eu sou chatinha com as minhas chatices, não me aceito assim, detesto mergulhar em problemas, aceitar lamentações, me conformar. Quando percebi que não estava bem, logo corri atrás de um médico que me receitou ansiolítico e, paralelo a isso,  comecei a tomar Florais de Bach. Daí tem muita gente que diz que os florais são algo semelhante ao chamado efeito placebo. Que a gente toma qualquer coisa sem a menor eficácia medicinal, mas como estamos propensos a acreditar que melhoraremos, de fato melhoramos. Se foi isso o que aconteceu comigo? Não sei. Mas dá para perguntar para o meu cachorro, que também começou a tomar Florais de Bach Pet e está bem melhor. Vá lá que eu expliquei direitinho, vá lá que ele é bem inteligente, mas será que um animal pode ser induzido a um efeito placebo? Difícil acreditar.

Ainda que seja assim, os florais me tiraram de uma situação na qual eu não queria estar. O primeiro passo é esse: não querer, não aceitar. Tem gente que se acostuma a reclamar, a sofrer, a sentir dor, medo, angústia. Eu não. Detesto sofrimento, não gosto de fazer papel de coitadinha, odeio reclamar. Saí dessa com ajuda da minha família, dos amigos, dos remédios e dos florais - nenhum com peso maior, todos juntos.

E aí que eu penso na minha vida agora, tão mais tranquila e confortável. O que mudou de três meses para cá? Absolutamente nada, só a maneira como eu me posiciono diante das situações. O que me irritava muito já não me irrita mais. O que me deixava cansada hoje me dá prazer. O que me causava medo e ansiedade hoje ainda causa ansiedade, mas aquela boa, gostosa de sentir. 

Tenho uma amiga de longa data que é dessas pessoas que não pára um minuto. E eu gosto muito dela, mas não tenho ritmo para amigos agitados e ela sempre reclama. Sempre quer que eu vá a bares, baladas, cinemas, teatros, shows. E uma frase que ela sempre usa é "Amiga, você é muito parada, você não vive".  É como se viver e ser feliz só fosse possível fazendo mil coisas ao mesmo tempo. Como se nada nunca fosse suficiente, sabe?

Mas como assim eu não vivo? É claro que eu vivo, eu vivo à minha maneira. A minha vida é feliz do jeitinho que ela é. Eu sou feliz no sábado a noite vendo filmes com meu pai e minha mãe. Eu sou feliz acordando cedo todos os dias e pegando o trânsito da Castelo para vir trabalhar. Eu sou feliz comendo cachorro quente com meu namorado. Eu sou feliz indo ver show de Heavy Metal com meu irmão. Eu sou feliz deitada na rede em um feriado. É assim que eu sou feliz, exatamente assim, sem mais nem menos.

Cada um tem um jeito de viver e um jeito de ser feliz. O que me faz feliz pode não te fazer. Mas isso não quer dizer que a minha vida seja mais ou menos interessante que a sua. E nem que eu seja mais ou menos feliz. E ser feliz é algo que, definitivamente, não depende daquilo que temos ou compramos. Eu encontrei a felicidade da forma mais simples possível: agradecendo a Deus por tudo o que eu tenho, todos os dias. A mim basta minha família, meu futuro marido, meu cachorro, meus poucos amigos, minha vida profissional e meus momentos de descanso e prazer. Basta mesmo, de verdade. 

Vou dizer uma coisa: eu sou muito mais feliz em Osasco do que muita gente em Paris. Estão vendo como é relativo? Não que eu não queira ir à Paris algum dia, claro que quero, mas não condiciono minha felicidade a isso. Sou feliz aqui e serei quando puder ir a Paris e quando puder realizar todos os meus outros sonhos.

Porque o eternos insatisfeitos são também, invariavelmente, os eternos infelizes.

P.S.: Quem se interessou pelos Florais de Bach pode ler mais a respeito clicando aqui. E se quiserem, dá até para comprar online.

42 comentários:

Mirian disse... - Responder comentário

Quando alguém vier reclamar ou criticar acerca do meu estilo de vida eu vou imprimir esse post pra pessoa ler.
Fico super feliz que você tenha contornado aquilo que estava te afligindo. Parabéns pela superação.
bjos

Franciele Oliveira (Fran) disse... - Responder comentário

Sabe que eu tenho amigos que são da mesma maneira?
Mas eu tb sou feliz lendo meus livros, seriados, filmes em casa. Só acho que o que falta nas pessoas é respeitarem o modo de viver de cada um.
Adorei o texto Lily!
Vou ver esses florais!

Beijos

Tatazinha disse... - Responder comentário

Nossa, adorei o texto que vc escreveu! Tá super certa! Uma coisa é a pessoa achar q o caminho dela é o certo, outra é ela achar q é o único! Somos felizes à nossa maneira! O que me deixa feliz pode não ser nada pra outra pessoa e vice-versa, isto se chama individualidade! Arrasou! Bjãoooooooooooo

elaine oliveira disse... - Responder comentário

Felicidade é mais q relativo é momentâneo.....ninguém é feliz o tempo td......nem q vc vá pra balada de seg à seg, um dia cansa, pesa e o ruim da vida ñ é caminhar é carregar os fardos....sejam eles profissionais, familiares, amorosos ou td o mais q se possa carregar.......rsrsrs!

blog da Re disse... - Responder comentário

Ótimo texto! a felicidade tá bem aqui, presente na nossa vida e muita gente nem percebe, né?!!

Ro Malet disse... - Responder comentário

Eu quero ser mais Lily! hushsushsua
Quero ser mais paciente menos reclamona, valorizar mais as coisas. Admiro você.
Há fases nas nossas vidas que não são tão legais e outras melhores... O jeitinho é respirar fundo e esperar a má fase passar. Que bom que estás melhor e mais feliz.
Sobre os florais, sendo placebo ou não, o que importa é que deu certo.

Bjos

Letícia C. disse... - Responder comentário

Parabéns pelo texto.

É tão bom descobrir que algumas blogueiras vão além das roupinhas bonitinhas.
Pessoas inteligentes e com sentimentos puros, como os que manifestou, tornam o mundo melhor.

Parabéns, também, pela atitude de sair da melancolia, do comodismo, da zona de conforto.

Nunca se envergonhe por ter precisado de "remédios" para isso.
Como você mesma disse, somos nós que decidimos o que é melhor para a gente.

Seja feliz, da maneira como quiser e nunca mude, por ninguém.
A nossa essência é o que temos de melhor em nós.

=)

Pri Werner disse... - Responder comentário

Eu já gostava do teu blog há um tempo, e cada dia gosto mais e me identifico contigo. Fico contente em saber que tu está mais feliz!

Liana Barros disse... - Responder comentário

Esse é o caminho das pedras, amiga. Um equilíbrio de todas as coisas que podem te ajudar. Os florais não teriam resolvido sem o apoio dos amigos e vice-versa. E o primeiro passo, na verdade, vem de dentro: o querer mudar. Eu passei por algo parecido há algum tempo (você bem sabe...) e comigo aconteceu a mesma coisa, porque quando a gente muda, tudo ao redor muda também. É toda uma sinergia trabalhando junto com você. Fico feliz que esteja se sentindo melhor e que você sabe da importância de agradecer a Deus por ter tudo que te faz feliz: pessoas e as coisas simples do dia a dia. Um beijo grande!

Cantinho da Didi disse... - Responder comentário

Lili, adorei, o que falta nas pessoas é respeitar o espaço das outras, ninguém é igual a ninguém, graças a Deus por isso, e o bonito nisso tudo é saber conviver com as diferenças e tirar proveito de alguma forma.
Adoro seu blog
parabéns...

beijos,

Didi

Marina Moscardini Souza Lellis disse... - Responder comentário

Lily, concordo em gênero, número e grau com o que você disse! Faz um tempo que tenho andado num baixo-astral ruim, mas já comecei com os florais e senti melhoras! Temos realmente que ser felizes à nossa maneira. Cada um sente prazer em coisas diferentes e essa é a graça da vida! O que seria do amarelo se todos gostassem do vermelho? É bem isso, seja feliz à sua maneira, lute pelos seus sonhos! Torci muito por você e vejo o quanto saiu bem dessa pequena "crise". Todos deveriam se espelhar em você! Além de linda por fora, é maravilhosa por dentro, uma pessoa super querida!

Beijos
http://estiloemcapitulos.blogspot.com

Greice Kölln Vipych disse... - Responder comentário

Super verdadeiro esse seu post flor...tbm já parei pra pensar muitas vezes nessas coisas e concordo contigo..

beijinhos!

Andréia disse... - Responder comentário

Lendo seu post, me lembrei da propaganda do Pão de Açúcar. Comercial, mas tão bonita. Isso porque fala de uma felicidade pura e simples: "A lua, a praia, o mar, a rua, a saia, amar... Um doce, uma dança, um beijo ou a goiabada com queijo". Cada um sabe aquilo que lhe faz feliz. Ainda bem, porque, desse modo, cabe somente a você buscar essa felicidade.
E eu fico feliz por você ter reencontro aquilo que lhe faz bem!
Um beijo

Cinthia disse... - Responder comentário

Oi...nossa amei o texto...tenho vivido momentos difíceis e ler coisas assim nos impulsiona a não desistir de ser feliz...felicidade pra mim...e muita felicidade pra c tbm querida...bjos!!!

Jaqueline Matos - terapia floral disse... - Responder comentário

Olá LilY,passeando pela blogosfera encontrei seu blog e justamente qdo amouuu a terapia floral...Então vem comigo! os florais são mágicos mesmo!
www.floraisonline.net

Li disse... - Responder comentário
Este comentário foi removido pelo autor.
Li disse... - Responder comentário

Adorei o post, Lily. Ele me fez pensar: quem é plenamente feliz? Ninguém. É aí que está a graça de viver. Aproveitamos o que já conquistamos de bom, pelo maior tempo que conseguimos. Cada coisinha, por mais simples. É aí que encontramos as diferenças entre correr atrás de um objetivo e colocar nele toda a significação da felicidade e ser feliz, agradecendo por cada detalhe que dá certo e é bonito.
XoXo

Cláudia Accioly disse... - Responder comentário

Oi,
Essas pedrinhas no caminho, quando aparecem são chatas, mas nada como a sensação de conseguir vencer. Cada um encontra o seu jeito de ser feliz, o importante é encontrar.
Bjo.

Dani Garlet disse... - Responder comentário

aaiieee eu choro assim lily...
lindas palavras e real.
eu sou a favor da vida real!
;)

Paula Patricia disse... - Responder comentário

Cada um encontra a felicidade da maneira que mais lhe agrade e que o faça feliz. Isso com certeza é algo relativo, não há como comparar. Eu sou muito feliz com o que tenho hoje e agora, não fico aguardando ter, fazer algo pra que eu possa ser feliz. Concordo plenamente, quem sempre está insatisfeito, é porque é alguém eternamente infeliz, e essa busca incessante por alguma coisa é um vazio que provavelmente nunca será preenchido, quando conseguir o que quer, vai ter logo outra coisa para querer.
Bjokas e sejamos felizes do nosso jeitinho!!

Deia Godoy disse... - Responder comentário

Felicidade é mesmo dificil de ser definida...o que me faz feliz pode não fazer vc. E eu realmento acho que a beleza e a gostosura de viver é isso , as diferenças e o fato de você se dar conta que não tem que fazer o que o outro faz pra ser feliz...é o autoconhecimento ! Também sou adepta dos florais, me auxiliaram muito em um momento dificil !
Bjks da Déia

www.voudedeia.blogspot.com

Mayra disse... - Responder comentário

Passei alguns meses atrás a mesma situação aqui em casa, meu marido ficou igual a você e após algumas sessões com a psicologa e florais ele ficou ótimo outra vez, voltou a sorrir. Não acreditava muito nesse tipo de tratamento, mas depois que ele usou, passei a crer que realmente funciona!
Que bom ver seu sorriso estampando meu pc de novo!
Bjjinn

Ana! disse... - Responder comentário

Exatamente isso, a maneira de ver a vida e de encarar os problemas. Um problema pra mim, pode ser nada para vc e vice-versa.
Então a diferença é; como encarar e a importância que vc dá aos mesmos.

Tá certo que nem sempre conseguimos ser as doutoras da resolução, mas se soubermos lídar com as coisas com seus respectivos e devido valores, é uma grande parte do problema resolvido.
E quanto a felicidade, essa é realmente relativa. Portanto, procure a sua maneira de ser feliz, e seja de verdade.

Vc não me conhece, mas eu já sigo seu blog, e antes já passeava por aqui. Sou novata no mundo blogueiro, e meu blog tem apenas alguns poucos desabafos.

Beijo e continue assim... sabendo o quer, e o que basta para te fazer feliz.

Anônimo disse... - Responder comentário

Lily,
A cada dia que passa sou mais sua fã!!!!!
Adorei as suas palavras!! Tem gente que nem passa por aqui mas DEVERIA e MUITO.
Que todos os seus dias sejam floridos!!!
Saudade
Beijo,
Radoika

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Radoika, querida, também tô com muitas saudades. Me liga? Vamos combinar aquele cinema que acabou não rolando??

Beijos!

Tati disse... - Responder comentário

Lily, que post fantástico. Há dois anos atrás eu me via um pouco na situação que você estava antes das férias. Eu tenho o emprego que muita gente sonha em ter, sou funcionária pública. Tenho estabilidade, dinheiro no bolso, mas mesmo assim há dois anos atrás eu chegava em casa e chorava muito, copiosamente, todos os dias porque eu não via sentido naquilo tudo. Não via futuro, ou melhor via um futuro que eu nunca quis e desejei, parado, estagnado. Até que algumas coisas aconteceram e eu descobri a minha verdadeira profissão. Hoje eu chego em casa cansada, vou para a universidade e durmo 4 horas da manhã lendo. Eu não sei o que vai acontecer, sei que minha vida ganhou um outro sentido e, assim como você eu parei de tentar ser uma pessoa diferente do que eu queria para agradar os outros. Eu descobri a importância do que realmente vale a pena...

Te admiro pelas suas palavras e espero que você continue assim por muito tempo. Quando precisar, pare, respire. Não importa onde você esteja, Osasco, Paris, Londres, o importante é você estar bem, se não, nada adianta.

Eu tenho uma professora que diz: Quando perguntarem a vocês de onde vocês são, respondam, eu sou até onde meus pés me carregam. Só dependo deles para andar. Esse é meu modo de viver e estudo para ajudar muito mais pessoas a viver assim também ;)

Beijos,
Tati

Aninha Kitty disse... - Responder comentário

Lily, me identifiquei muito com seu texto.
Cada um é feliz na medida daquilo que lhe faz feliz, e isto deve ser respeitado. Sempre!!!

Rafaela disse... - Responder comentário

Lily vejo seu blog todos os dias mas nunca comentei,adoro seus looks,me identifiquei muito com seu texto e quis te escrever quando li q vc estava estressada e tal,é que tive depressão pós parto e cride de pãnico, estou tomando antidepressivos,ia te perguntar justamente o que vc estava tomando,gostei da dica dos florais,vou experimentar.Que bom q vc está bem,espero em breve estar assim também!bjo
Rafaela Sorocaba SP
rafamaria@yahoo.com.br

Geovana disse... - Responder comentário

Eu sei bem o que é isso Lily, também tenho uma amiga frenética e ela não entende que na minha idade, tenho só 22 anos, eu não sinta vontade/necessidade de sair de sexta a domingo em todos os finais de semana. Eu curto balada, mas isso divide espaço com esportes, as saidas em família, um filminho em casa, os diversos blogs que eu leio sobre moda e afins. Baladar não é tudo, e chego a dizer que uma pessoa que vive somente nesse mundo encontra mais vázio do que pessoas com quem se relacionar, das mais diversas formas. Ela me fala a mesma coisa, que eu tenho que viver mais, what? eu já não vivo? Vivo sim, e a minha maneira, que me satisfaz e me torna uma pessoa feliz.
Lily, tenho notado que depois dessas férias vc está com um sorriso lindo, o mais sincero e verdadeiro que eu já vi nesse blog, e os seus looks estão incriveis. bjs

Gi Salmazi disse... - Responder comentário

Ohh minha querida! Fiquei tão emocionada lendo seu post!eu sou daquelas ligadas no 220, querendo tudo ao mesmo tempo e muito angustiada por não dar conta de tudo! Essa minha vida agitada adia meu sonho de ser mãe a cada ano e sinto uma angústia tão grande por isso, estou realizando muitos sonhos com meu amado marido, crescemos juntos profissionalmente, viagens, apto novo para receber os amigos e família que tanto amamos, mas sabe há quanto tempo não assisto um filme comendo pipoca??há meses...e quero muito desacelerar e curtir mais a minha vida! seu post vai ficar guardado no coração e obrigada por nos encher de flores todos os dias!
bjs lindona! sou sua fã sempre!
gi salmazi

Sammy disse... - Responder comentário

Que texto lindo. Conheço gente que trabalha como faxineira e é de uma felicidade contagiante. Ou seja, dinheiro será q traz mesmo a felicidade?

Felicidade é um negócio complexo de descrever. Acho que é uma sementinha dentro da gente!

afetando disse... - Responder comentário

Lily, te admiro muito, pq sei que é como eu... uma pessoa que tem sentimentos, bad day, e apesar de td, LUTA para mudar e acredita na beleza da vida.

Mil bjoks e ótimo fimdi!

Michelle disse... - Responder comentário

Lily, que coisa mais linda de se ler... simplesmente linda.
Adorei. Me fez parar pra refletir.
Ando numa fase que preciso descobrir as coisas que me fazem feliz...

Obrigada, que Deus te abençõe!
Abç :)

Anônimo disse... - Responder comentário

Que texto lindo.. me identifiquei muito!
Qual ansiolítico te ajudou? (não vou sair igual louca comprar, é só p saber se eh o msm q uso..hahah)
Boa sorte p vc!
=*

Anônimo disse... - Responder comentário

oi Lily, sempre dou uma passadinha pra ver teus looks, mas nunca deixei recado, mesmo porque nem blog eu tenho, mas gosto muito do seu jeitinho, hoje não me contive, porque o que vc escreveu é exatamente do jeito que eu penso e sou, e também sou muito criticada por isso. Por acaso vc não é pisciana não é??? rs
Beijokas e parabéns pelo blog.
Angela.

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Angela, eu sou MUITO pisciana!! rs...

Alessandra disse... - Responder comentário

Lily, vc já conhece o Zenhabits.net ? se não conhece, vale a pena dar uma olhadinha, o lema dele é "sorria, respire e vá devagar". bjs

Anônimo disse... - Responder comentário

Poxa... você não pode passar o contato do seu médico? É tão difícil encontrar algum profissional que leve florais a sério... eu já tomei, mas eu mesma que "fiz", que escolhi o que ia dentro...
por favor!

Aline Aimée disse... - Responder comentário

Amiga, que texto ótimo!

Tão bom te ver assim serena, assim sábia, e tão generosa ao compartilhar suas experiências!
Vc tem uma inteligência emocional admirável. Aquele e-mail que trocamos há alguns dias foi tão importante pra mim.

Bom demais te ter como amiga!

Muito amor e carinho sempre na sua vida!

Beijo, linda!

Rosana Senna disse... - Responder comentário

Oi Lily,

Que bom que você conseguiu superar a depressão! Esse mal vem atingindo cada dia mais pessoas e é tão devastador! É certo que os ansiolíticos e florais auxiliaram em sua recuperação. Mas, estou certa de que o maior e mais eficiente remédio veio de dentro de você. A coragem de encarar o problema e lutar contra ele, a força encontrada em seus valores, no apoio da família, na convicção do que representa sua felicidade. Não o padrão de felicidade imposto pela sociedade, mas a felicidade genuina que reside dentro de você. Parabéns pela superação Lily! Que Deus a abençoe e resguarde seus pensamentos e emoções. Siga assim, convicta do que é importante para você. Não se comprima a um molde imposto pela sociedade. Seja você, seja real e lute por sua felicidade genuina sempre! Parabéns pelo blog. Ele é a sua cara. Belo, inteligente e despretensioso. Por isto está entre meus favoritos.

Beijo,

Rosana Senna

NoticiAndo com estilo disse... - Responder comentário

Puxa lily, adorei teu post. Sabe dias atrás eu estava me sentindo muito pra baixo sem motivo aparente, meio deprê e com um imeeeensooooo nó na garganta que não conseguia entender de onde vinha, nossa é taaao ruim essa sensação. Mas não me deixei abater não, pensei na minha vida, nos meus amigos, na minha familia, meu marido e me dei conta do quanto eu tenho motivos pra ser feliz, o quanto eu tenho pessoas amadas e queridas que me cercam, não vale a pena nos deixar abater, temos que ser fortes sim e nao deixar que esse momento ruim nos conduza. Adorei sua atitude, parabéns pela força, essa força tem que partir de dentro. Concordo plenamente com vc sobre a felicidade. Tenho uma vida muito pacata e nem por isso deixo de ser feliz, eu amo ser assim, não gosto de farras de noitadas, sou adepta de programas lights, contato com a natureza, viagens (deixo de ir à shows na cidade pra economizar pra viajar) e muitas amigas ficam chateadas de não ir com elas aos shows, mas é isso que prefiro e sou muito feliz do meu jeito, com meu estilo de vida. Nossa, daqui a pouco meu comment fica maior q seu post neh querida. Mas enfim, adorei te encontrar, esse é um lado muito gostoso da blogolândia, poder encontrar pessoas especiais.

Super bjooo!!

Andréa

Super bjo e fica com Deus!

piu_bella disse... - Responder comentário

Sabe se vestir, tem bom gosto, sabe opinar e escreve que é uma beleza! Amei o blog, os look e em especial este post. Beijos da sua nova seguidora, Flavia.

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados