10 dezembro 2010

Família, almoça junto todo dia


Eu estava conversando com uma colega de trabalho ontem e me veio à cabeça o quanto uma boa base familiar pode ser decisiva na formação do caráter de uma pessoa. Ela me contava dos problemas que vem tendo, do fato de não se dar bem com os irmãos e com a mãe e dos problemas constantes com o marido e eu só conseguia pensar no quão triste deve ser viver longe daqueles que amamos, não ter a sensação de proteção que só nossa família é capaz de nos dar.

Explico (citando-me como exemplo): tenho uma família cuja base é muito sólida, pais presentes e sempre atentos, tios que seguem a mesma linha, avós que os ensinaram isso. Eu passei anos da minha adolescência acreditando que minha mãe era chata demais, autoritária demais, certinha demais. Eu achava que meu era muito severo e pouco amigo. Hoje me vejo aqui, beirando os 30, e admirando esses dois com todas as minhas forças. Tudo o que eles me ensinaram, todos os nãos que me disseram, todas as lições que me deram (lições, nunca castigos). O fato de o meu pai não ter estudo algum e ter trabalhado tanto ao ponto de poder arcar com meus estudos e tudo mais o que eu sempre precisei (ele é o que eu chamo, verdadeiramente, de um homem bem sucedido). O fato de a minha mãe cuidar de mim, da casa e de suas criações artísticas (haja talento!) com tamanho empenho e dedicação.

A gente aprende caindo, aprende ouvindo nãos. Eu nunca precisei de fato trabalhar mas trabalho desde muito jovem porque o meu pai me ensinou que eu precisava, desde cedo, aprender a me virar sozinha. E eu muitas vezes não entendi porque nunca tive mesada ou porque ele não me dava dinheiro quando eu queria comprar a calça da moda. Hoje o agradeço. Sou completamente independente, cuido da minha vida e das minhas contas, trabalho, me dedico, dou valor a cada centavo ganho.

Minha mãe é uma católica bastante rígida, correta, honesta, séria. Ela sempre me dizia: "Minha filha, amigos não existem, na hora do sofrimento, é a família que conta - e só ela". E eu, do alto de minha ignorância e empáfia, pensava "ela diz isso porque não tem amigos". Santa ingenuidade, mas ainda bem que a vida ensina. Mamãe me ensinou tudo o que eu sei, cuidou de mim sempre que precisei, me deu colo e puxões de orelha. E quando eu mais precisei, ela me deu total e irrestrito apoio.

O meu caráter, o que eu sou hoje, devo total e absolutamente aos meus pais. A tudo o que eles fizeram ou não fizeram por mim. Hoje eu digo sem dúvida alguma: eles acertaram em tudo! E se eu procuro ser cada dia melhor (sim, porque não sou perfeita e estou longe de ser), é sempre por causa deles, para retribuir, pelo menos minimamente, o que me fizeram ser. E o mesmo, tenho certeza, acontece com meu irmão.

Eles se sacrificaram muitas vezes pela minha felicidade. Muitas e muitas vezes. Eu ainda não sou mãe mas sei que vou agir da mesma forma. Criar filhos, formar seus caráteres, educá-los... realmente, não deve ser fácil, mas eu acredito que me sairei bem quando minha vez chegar porque tive os melhores professores que alguém poderia ter.

E mais uma vez eu caio no meu bom e velho cliché: agradecer.

Como eu não agradeceria à sorte de ter a melhor família do mundo?

16 comentários:

C@ntinho da D!d! disse... - Responder comentário

Linda declaração de amor, tenho certeza que vc é uma filha maravilhosa e dedicada.
Tb amo minha família, não troco por nada, já levei bastante não e dou valor a cada um deles...
O título é perfeito, família faz tudo junto é esse amor que nos move...

Seu blog é fofo Lili, mas realmente hoje eu gostei muito mais de passar por aqui.

beijos.

No Interior disse... - Responder comentário

Nossa Lily, que lindo! Linda a sua família tb! Acho lindo filhos que reconhecem os esforços de seus pais, pois eles merecem mesmo!

Bom final de semana!

Beijos da Paty!

blog da Re disse... - Responder comentário

que lindo!!
sinto o mesmo pelos meus pais, um amor e admiração enormes!
tenho medo de não conseguir criar meus filhos com a mesma sabedoria dos meus pais, espero que sim...

bjs
Re

Rafaela disse... - Responder comentário

Muito legal o post Lily,agora q sou mãe entendo muito mais a minha mãe e vejo o quanto é grande a responsabilidade de educar um filho,realmente educar por q criar é outra coisa...
bjo

Alessandra disse... - Responder comentário

Lily, tinha acabado de escrever um texto grande a respeito desse seu post...Apaguei e resolvi te dizer apenas uma coisa: que bom que vc compreendeu isso agora, ainda antes de casar e ter filho. Pai e mãe são preciosos! Bjs.

Anônimo disse... - Responder comentário

Minha cara, pode ter certeza que amigos existem sim... amigos mais simseros que um irmão.

Fique com DEUS!

Dianamrs disse... - Responder comentário

Linda homenagem! :)

Mas espero que vcs, inclusive a sua mãe, ainda venham a conhecer amigos que sejam como família. Eles não são muitos, mas existem sim. :)
Bjsss

Adriana Vilela disse... - Responder comentário

O mais belo post que já vi aqui no seu cantinho!!! Lindo e, querida agradecer neste caso não é clichê, é amor!!!
Beijos

Rafaela Marinheiro disse... - Responder comentário

Acho que em primeiro lugar veem as decisões pela familia. Amooo a minha. Tudo bem que meu irmão não é a pessoa mais simpatica do mundo, mais o amo mesmo assim. Minha irmã é uma figura. E mamis é uma pessoa nota 1000000000000000000000000000....
Costumo dizer que se houver reencarnação, desejo a mesma mãe e a mesma familia.
bjus
www.casapraquetequero.blogspot.com

LaReK disse... - Responder comentário

Que lindo, Lily! Minha família tbm é tudo para mim, meu amparo e meu conforto. Tem problemas, claro, mas é a Minha Família. E isso, ninguém tasca. Beijocas pra vc! Que sua família continue sendo abençoada!

Lulu disse... - Responder comentário

Lily, foi muito tocante ler esse post. É incrível como com o amadurecimento vem o reconhecimento do valor de quem nos criou, quem nos passou valores, muitas vezes impondo limites com os quais tanto lutamos e reclamamos no início da juventude. O amor de pai e mãe é incondicional e infinito.

Bjs e um ótimo fim de semana!

Renata Guimarães disse... - Responder comentário

Lily,
Nossa, como eu queria ter escrito uma coisa bonita dessas! Fiquei emocionada, porque graças a Deus tenho uma família assim. Que Deus abençõe todos aí.
beijoca,
Re

Ana Luisa Damasceno disse... - Responder comentário

Super me identifiquei com seu post. Temos famílias muito parecidas. Admiro meus pais demais, e entendo todos os sacrifícios que fizeram por mim. Também nunca tive mesada, e na adolescência me ressentia disso. Tudo tinha que ser por mérito. E graças a Deus foi assim. Lindo post!

Claudia Schneider disse... - Responder comentário

Que lindo Lily! Tenho uma base familiar muito semelhante a tua e é a mesma que quero manter quando tiver a minha também.
beijinhos e bom final de semana

Greice Kölln Vipych disse... - Responder comentário

Que lindo esse post flor!
realmente, a família é a base de tudo, a sustentação!
penso da mesma forma que vc e tbm sou eternamente grata a meus pais e irmãs pela vida que tenho e pelo caráter que ajudaram a formar...

beijinhos!

kelly livia disse... - Responder comentário

Lindo esse post...Que Deus continue a abençoar sua família!!

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados