13 abril 2011

Conversando com Atreio


Ele tem olhos de amor!


Oi, gente.

Minha mãe disse que eu poderia vir aqui conversar com vocês de vez em quando. Eba, né? Daí eu resolvi começar contando minha história, que é uma comédia romântica, digamos assim.

Eu vim parar na casa de uma família que não gostava muito de cachorros. Mas minha mãe me queria tanto que conseguiu convencê-los. Eles eram inexperientes e me compraram de uma moça que os enganou. Ela disse que eu já tinha três meses, mas era mentira, eu havia nascido havia apenas uma semana. A veterinária contou que eu nem sabia comer, então, para que eu sobrevivesse, era preciso me dar leite em uma seringa. Ninguém tinha muita paciência comigo, mas minha mãe cuidava de mim e me alimentava todos os dias a cada 15 minutos. Daí a tia de branco falou que eu precisava ser aquecido, porque eu era muito pequenininho e corria o risco de morrer de frio. Minha mãe comprou um aparelho esquisito que ela chamava de infra-vermelho - acho que era isso - e que ela ligava nas noites frias para me deixar quentinho. Uma noite ela aproximou demais esse treco da casinha de tecido e a casa pegou fogo. Hahaha... quase virei cachorro-quente! Foi um sufoco, mas minha mãe sentiu o cheiro e conseguiu me salvar! Ufa!

Uns meses depois, já mais fortinho, eu fiquei doente. Ninguém sabia o que eu tinha e mais uma vez fui lá visitar aquela tia de branco. Ela me examinou, fez uns exames e deu a notícia: cinomose. Minha mãe chorou. Eu nem sabia, mas dizem que essa doença é fatal em pequeninos como eu e, quando não mata, deixa sequelas. Mais uma vez minha mãe cuidou de mim bem muito e eu fiquei bom, quase curado. Daí ela foi viajar com uns amigos e ficou quatro dias longe de mim. Eu fiquei muito triste, muito, muito triste. Eu nem saia da minha casinha e não tinha vontade de comer. Quando minha mãe chegou eu tinha piorado muito e estava bem fraquinho. A tia de branco falou que não tinha mais jeito, mas minha mãe não acreditou e ficou do meu lado colocando uma bolinha de ração por vez dentro da minha boca. Isso levou horas, mas no fim, eu tinha comido tudo.

Depois desse dia eu cresci fortinho e saudável, não tive sequela nenhuma e hoje vivo sapeca e feliz nessa família que aprendeu a me amar como se eu fosse um filho. Esses tempos minha mãe descobriu que eu tenho um problema sério na coluna. A tia disse que nem sabe como eu ainda ando, mas acontece que eu suporto a dor só para fazer minha família feliz, sabem? Nem dói tanto assim.

Minha mãe diz que eu sou um guerreiro, um milagre que late. Mas eu acho que é exagero dela, vocês não acham? Só porque eu sobrevivi a um incêndio e à uma doença incurável?

=)

44 comentários:

Tatiana Bonotto Cake Designer disse... - Responder comentário

Adorei!!!


Estou passando por aqui para convidar você para conhecer meu blog.

Quando puder passar por lá,vai ser um prazer ter sua companhia.

bjs

www.tatidesignercake.blogspot.com

Priss disse... - Responder comentário

Cachorrinho valente, com certeza vai tirar + essa de letra...um beijo para você e para sua mãezinha Atreio rsrs.

Lary disse... - Responder comentário
Este comentário foi removido pelo autor.
Ritinha disse... - Responder comentário

Ahhhhhhhhhhhhhh Tedo lindooooooooo!
Saudades dele! (Só dele Rsss)
Adorei a foto, ele está com o seu olhar 43! hahahahahaa
Lindo Lindo!!!
Beijos

Mirian Soares disse... - Responder comentário

Ownwnwn, gente, quero abraçar muito o Atreio. Coisa mais linda das tias... rsrss
Fofo!!!

Alessandra disse... - Responder comentário

Oh, Lily...soltei uma baita gargalhada na passagem do "cachorro-quente" (meu marido até me olhou engraçado) e no final quase que chorei de novo ('de novo' porque eu tinha acabado de assistir um episódio de HOUSE que me emocionou). Que dedicação linda ao Atreio...sem palavras...
Com vc iluminando o caminhozinho dele tudo dará certo, Lily. Um bj carinhoso pra vc.

Hellen disse... - Responder comentário

Ai que lindinho, meu olho encheu de lágrima lendo :~

Marluce Santos. disse... - Responder comentário

Oi Lily,
Fiquei emocionada com essa história... É que eu sempre tive cães e o meu penúltimo (um poodle standard) já teve sinomose, sobreviveu mas quando completou nove anos, ele morreu com a tal desgraçada doença do carrapato e o pior, meu vizinho ficava "agorando" o meu bichinho. Ficava perguntando se ele já tinha morrido. Me dava um ódio mortal, mas Deus é justo e eu confio sempre nele e acredito também que não existe purgatório, ele é aqui na terra mesmo. E esse tal vizinho está sofrendo, não por eu ter desejado, eu nunca desejei nada de mal pra ele mesmo ele tendo feito isso com meu menino.
Eu amo animais e sempre defendo esses anjos sem asas. Estou realmente emocionada e feliz por saber que você é uma pessoa amiga da natureza.
Hoje tenho outro filhinho, um yorkshire levado mas muito querido. É o meu novo anjinho sem asas.
Torço e rezo para que São Franciso de Assis "olhe" pelo Atreio e ajude ele sair de mais essa. Afinal ele é guerreiro e acredito que tudo dará certo.
Mil beijos e lambidinhas para o Atreio.

Gabs Pires disse... - Responder comentário

Ele é lindo flor!
Um anjinho que estará sempre ao seu lado pra te dar carinho e muito amor.

Vendo a foto do seu pitico meu uma saudade tão grande das minha spiticas! Ai ai...

Beijos

Feufa Maciel disse... - Responder comentário

Ai, eu chorei...
Toda história de cachorrinhos eu choro...
Eu tenho uma cadela, que na verdade, é da minha vó, mas mora aqui com a gente, por ter mais espaço. Há uns 3 anos descobrimos que ela é diabética. Todo dia, meu pai aplica uma injeção de insulina (pela manhã e pela noite). Se deixar de aplicar, ela pode ficar muito fraca, acabar morrendo, ou ficar cega logo. Devido a diabetes, se ela tem um machucadinho na perna, demora muito a sarar, então tem que tá sempre cuidado, e colocando o "cone" pra que ela não lamba a pomada. Mas, como a gente cuida direitinho dela, dá comida, carinho e amor, ela vai levando a vida bem saudável até! Isso que importa. Hoje ela tá com 10 anos.
Minha tia tem um poodle que tem hérnia de disco, já pensou? Ela leva ele pra sessões de acupuntura. E tá lá, pulando, correndo, feliz!
Meu namorado teve um poodle que tinha um sério tumor. Foi descoberto quando já não dava mais tempo de operar, poderia ser fatal. Cuidava com remédios. Mas era impressionante esse cachorro... Ele latia, pulava na gente, corria, parecia que não tinha nada! Incrível. Como aguentou tanto tempo... Ele morreu não faz nem um mês, já estava velhinho, com 17 anos. Lembrando dele agora, até me emociono, nunca conheci um bichinho que aguentou tanta barra como o Nicky... Nem parecia que era doentinho.
É impressionante, que os cachorrinhos com problemas graves parecem ter mais força de vontade de viver ainda.
Acho que a gente se emociona fácil com os cachorros, porque eles são animais que demonstram facilmente os sentimentos pelos donos.
E pro seu Atreio, espero que ele consiga vencer cada obstáculo que a vida impor. Poodles são cachorros fortes! Pode acreditar!

Aline Silva disse... - Responder comentário

Atreio...vc é igualzinho a sua mãe...um fofo!!! rsrs
Bjim o.O

Dri disse... - Responder comentário

Que meigo e que história! Adorei!

P.S.Meu jardim está florido!

Sté disse... - Responder comentário

aiii que lindo vc eh..quér conhecer o Snow???aposto que voces vao brincar mto:)

Priska Araújo disse... - Responder comentário

E tem como não amar, cuidar e considerar uma coisa linda dessas como parte da família.
Realmente ele é um guerreiro, e com certeza está lindo, forte e feliz por conta do amor que recebe.
Beijos!

Anônimo disse... - Responder comentário

Tá aí, comprar bicho não é legal mesmo né?! Ainda bem que as pessoas estão vendo isso. Adotar é tudo de bom!

Érica disse... - Responder comentário

Coisa mais linda do mundo! Sou filha única, mas tenho um irmão poodle que é um docinho! rs Agora quero ser mãe de um Schnauzer que vai chamar Diogo...tô quase convencendo meu noivo, rs! Bjs

Mãos do Interior disse... - Responder comentário

#CHOREI!
É um milagre mesmo, não tem jeito, qndo Deus não quer, não há Medicina que vá prevalecer! No final, vc acabou se tornando um anjo na vida dele!
Bjs

Alee - coletandodias.blogspot.com disse... - Responder comentário

Oi Atreio. Você é um cachorro muito forte e tem muito sorte de ter uma mãe tão cuidadosa(tirando aquele deslize do infravermelho, acontece com as melhores)e paciente.
Voce não falou quantos aninhos vc tem. Talvez a dor na colunas seja a idade chegando. De qualquer forma, desejo que fique com ela por muito mais tempo.
Uma coçada nas orelhas pra você, tá?

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Oi, tia Ale.

Eu já tenho 13 anos, tô ficando velhinho mesmo. Mas ainda tenho muitos anos pela frente, pode apostar.

Lambidinhas.

Cati disse... - Responder comentário

Aulá Atreio!

Meu nome é Cacau, mas vai aparecer o nome da minha mãe ai, pq não sei fazer um email pra mim. Também sou uma poodle sabia? E tenho uma familia que me ama tanto, tanto, tanto também. Tá certo que tem hora que irrita, minha mãe me aperta o tempo todo, ela acha que sou de pelúcia sabia?

Sua história é linda e há muito pra ser vivida, viu? Papai do céu te abençoou com essa familia linda e vai te proteger e abençoar cada vez mais! Uma super lambida pra você e pra sua mamãe!

Tamiris disse... - Responder comentário

"mas acontece que eu suporto a dor só para fazer minha família feliz"
Chorei.

Daniela Borges disse... - Responder comentário

que história linda!!!

cris disse... - Responder comentário

Olá!
Que história mais linda!!!
Vocês são guerreiros!
bjss

Michelle disse... - Responder comentário

Ah Lily, você é uma pessoa iluminada por ter esse anjinho por perto!
Eu tenho um. Chama Tobias. É a coisinha mais fofa também!
Beijos

Joart Flores disse... - Responder comentário

Lily,
Que historia mais linda! Sou apaixonada por animais, por poodles e agora estou apaixonada pela minha gatinha, a Lola.
Parabéns por cuidar dessa preciosidade com tanta dedicação e amor
Beijinhos

Tamy disse... - Responder comentário

Que amor! Estarei aqui torcendo pelo Atreio e ele vai se sair bem novamente.

Minha cachorrinha foi atropelada, teve problemas na coluna e acabou paralítica. Depois de quase um mês sem andar ela voltou com acupuntura. Quem sabe funciona para aliviar as dores dele?

Beijos
Tamy

kelly disse... - Responder comentário

poxa! que história hein! ele é lindo!

I LOVE PINK disse... - Responder comentário

que amor! ele é lindinho!

Camila Santana disse... - Responder comentário

Eu chorei, Lily!

Clau Freire disse... - Responder comentário

Querido Atreio e Lily

to aqui chorando com esta história e com a vontade de viver deste pequeno.

Como td na vida quando fazemos por amor, o resultado não pode ser outro.

Atreio peça para sua mamãe levar vc para fazer acupuntura canina, isso vai melhorar e muito a sua coluna, afinal vc é um guerreiro e ja suportou muitas coisas, e nada de se preocupar com a idade a tia Claudia aqui, tem 5 amiguinhas iguais a vc, uma se foi a um mês atras pois ela ja tinha 19 aninhos, mas vc é um jovem ainda e com todo este cuidado e amor que sua mãe e familia te dá vc certamente ficara bem logo e rtará muitas alegrias a eles.

Venha sempre contar suas histórias, eu adorei!

Um gde beijo e nada de ficar tristinho quando a mamãe for viajar, ok

LiLy e após o casório ele vai com vc ?

Bjs

Anônimo disse... - Responder comentário

Me emocionei.Vc é uma pessoa boa Lily! O ser humano que gosta de bichos é um ser humano melhor.Deus vai sempre te iluminar por isso!

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Ih, Clau, nem me fale nisso que eu já vou chorar. Ele não vai comigo não, senão quem fica doente são meus pais. Mas eu nem sei como vou viver sem ele, sério, me dá desespero só de pensar. Acho que vou ter que passar em casa todos os dias! É filho mesmo, o maior amor do mundo, não consigo ficar longe.

Ou a gente pode pensar em guarda compartilhada, quem sabe? hahaha...

Livea Faria disse... - Responder comentário

Quase chorei de rir da história! Que comédia esse dog!
Lily... como você incendeia a casinha do cachorro??? Hahahahaha
Ficou só imaginando a cena.
Beijão

Letícia disse... - Responder comentário

Lily, fiquei emocionada com essa história.
Ele possui um olhar tão expressivo e tranquilo, ninguém diz que já passou por tantas coisas. =(

Amo bichos, muito mesmo. E fico feliz que mesmo com tantas dificuldades ele esteja bem, e entre vocês, pessoas que gostam dele. =)

Lual disse... - Responder comentário

eu chorei... coisa mais fofa.

Clau Freire disse... - Responder comentário

Flor

quem sabe vc não ganha um no seu chá de cozinha, assim como eu ganhei a minha Megg.

Pq as minhas tbm meus pais não deixaram levar pq todos iriam sentir falta, mas vc terá que visita-lo sempre sim, pq ele vai sentir e muito a sua falta.

Flor boa sorte com o casorio estou torcendo por vc!Precisando é so chamar

Iolanda disse... - Responder comentário

Ai Lily...to chorando até agora. Voce é um docinho, que Deus te abencoe. Abraco gostoso pro Atreio e muita saúde.
Ah.....também tenho uma anjinha aqui em casa, uma bolota amiga e sempre companheira chamada....Lily!!!

Hellen disse... - Responder comentário

Que lindo, me emocionei!
Muito lindo o Atreio, adorei a história. Me lembrou da minha poodle, na qual sou completamente apaixonada, e que também veio para casa muito pequena. Assim como você, dava leite para ela na seringa.
É um amor tão grande e bonito, o Atreio com certeza é muito feliz na sua casa.
Adoro histórias de cachorros, espero que o Atreio volte para contar mais de suas aventuras.

Jéri Silva disse... - Responder comentário

Adoro demais da conta esses posts do Atreio!
São imensamente lindos!
Tocam meu coração!

Cat e Ju disse... - Responder comentário

Se todos os donos de animais domésticos fossem assim, o mundo seria tão mais bonito e feliz! Parabéns :)

Anônimo disse... - Responder comentário

Lily, fiquei muito emocionada, linda história, meu olho encheu de lágrimas.

Ellen disse... - Responder comentário

Nossa...meus olhos encheram de lagrimas...linda história!!! Lindo o amor de mae e filho!!

Parabens!!!! Lindos!!!
bjus

Andrea Maia disse... - Responder comentário

Olá garota!!! Me chamo Andrea, sou de Aracaju/SE e visito sempre seu blog e me emocionei muitoooooooo com a historinha de seu cãozinho guerreiro. Recentemente perdi minha cachorrinha e ela estava com um problema na coluna, ela não morreu da coluna não, sabe?! Acho que foi muito remédio que o médico aplicou, mas nem quero pensar muito nisso. Até comprei aquelas cadeirinhas de roda, pois ela ficou sem andar, mas irei rezar todos os dias pelo seu fofinho para que tudo fico tranquilo e ele sempre feliz. Um grande abraço!

Andrea Maia disse... - Responder comentário

Ah Lily! Depois tive a ousadia de ler os outros comentários e falaram sobre acunputura. Minha Brisinha fez e foi ótimo, ela tinha reações muito boas, bem como, natação e fisioterapia. Tudo foi perfeito, tente fazer, tá?! Com certeza vai ajudar muito para o Atreio. AMO DEMAIS...

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados