20 abril 2011

Michael J. *FOX* está furioso!!


A grosso modo - já que não sou geneticista nem biólogo - em um estudo recente, pesquisadores descobriram que raposas domesticadas tinham as mesmas características de um cachorro doméstico, genetica e fisicamente. Numa comparação entre uma raposa domesticada e uma original "heavy metal" (leia-se, selvagem), foi detectado que os genes ativos no tecido cerebral e suas demais diferenças eram pífias.

Resumindo a bagaça toda: "Estou vendendo casacos, sapatos e bolsas de labradores. Querem comprar?" Segundo o pessoal da Arezzo "É a tendência, minha gente!".

Façam-me o favor, vai!? Vender bolsa, sapatos, pochetes e estofados de carro de pele de raposa. PRA QUÊ? É desnecessário! Sei que teremos comentários de pessoas que vão falar "Mas André, você come picanha! Tadinho dos bois!" Mas eu sou carnívoro!! Nossa concepção é esta!!! Vou fazer o que? Sei que têm pessoas - e muitas leem este blog - que são vegetarianas. Até invejo vocês pela escolha e pela força de vontade, sabiam? Além disso, o lance também é cultural, amigos e amigas. Vai pra Índia e dá uma tapa na bunda de uma mimosa pra tu ver. Os indianos acabam com tua raça! Na Coréia tem espetinho de pintcher. É complicado pra gente, mas é normal e cultural pra eles. Na China comem escorpiões, minhocas, ratoburguers, wraps de gafanhotos e afins. “Écaaa!!" Éca pra vocês e pra mim, mas pra eles não.

O que eu quero dizer aqui que uma coisa é ser cultural, histórico, que faz parte do cotidiano, a outra é matar uma raposa apenas para pegar sua pele e colocar nos sapatos das madames de plantão, apenas com o intuito fashion do ornamento.

A Arezzo recolheu os produtos confeccionados com este material, mas ela foi muito, MUITO infeliz. Cadê o pessoal do marketing que não pesquisou previamente a aceitação disso? Aliás, o presidente da marca disse "Só algumas peças foram confecionadas com este material!". Digo então: Senhor presidente da marca, entre num banco e roube R$ 10,00. Tu vai ser preso da mesma forma que seria caso roubasse 1 milhão.

Apelei mesmo!

*André Celegato é insultor consultor de moda e arruaceiro de plantão!

38 comentários:

Guta disse... - Responder comentário

É aí que ta todo o lance mesmo, André. Na cultura. Concordo contigo. Mas acho uma puta hipocrisia do caralho quando uma "fashionista" (já li tanta coisa nos blogs por aí...) se diz IN-DI-G-NA-DA (a separação silábida ta errada, eu sei) com a Arezzo, pois muitas SÓ compram sapato de couro. E vem cá, não matam o bicho só pra fazer o maldito sapato? Não é a mesma coisa? A Arezzo foi muito infeliz SIM, pois sabemos a crueldade envolvida pra fazer acessórios de raposinhas e, pior, foi dizer que isso é TENDÊNCIA. Tendência aonde? Na Sibéria? Estamos numa era completamente eco friendly e essa declaração foi absolutamente escrota.
Enfim, eu só acho que muita gente que reclamou e foi contra devia pensar duas vezes.
Não sou vegetariana e uso artigos de couro, mas tenho bom senso na hora de criticar.

Paula disse... - Responder comentário

Não é só pele de raposa também tem acessórios com pele de coelho, assim como uma botinha que tem pom pom de coelho no cadarço. Acho que tem coisas que são desnecessárias, qualquer pele fake faria a mesma coisa ali. Sobre sapatos de couro e artigos de couro, tenho poucas coisas, mas pensem também no tanto de bois que são mortos a cada dia para o consumo da carne...
A raposa e o coelho são mortos para que? Para um pedacinho do seu pelo ficar de enfeite em um sapato...

Lívia Nascimento disse... - Responder comentário

Concordo com vc em partes André...
E é tudo totalmente cultural... assim como em vários países se comem cobras e utilizam a pela delas para bolsas, sapatos, cintos e muito mais...
não apoio a matança. Se a carne da raposa for comida por alguem assim como comemos carne de boi, aí sim acho que deve pegar a pele dela e usar para compor acessórios.. mas se não for dessa forma, é melhor deixar o bichinho quieto..
Adoro seus textos... Preciso ir a sampa para conhecer Lily e vc pessoalmente.. da próxima dou um jeito.. vou falar com meu namorado.. huhuhu
bjokas e ótimo feriado!!

Guta disse... - Responder comentário

Só um adendo: o animal que é abatido para consumo alimentar, não tem utilidade para consumo de vestimenta. E vice-versa.

cris disse... - Responder comentário

Totalmente apoiado!!!
Fico indignada com essas "peruas" que acham lindo sair por aí vestidas de pobres animaisinhos, como se estivessem na última moda!
São verdadeiras "cruelas devils"!
O pior são alguns blogs de moda, que acham bonito puxar o saco dessas grifes que cultuam a matança de animais indefesos, pra simples "embelezamento" das madames.
SÃO UM LIXO e não um luxo!

Parabéns pelo texto! (quantas exclamações, né??? rsrs)

Daniela disse... - Responder comentário

Concordo ..plenamente com tudo pois amo os animais....e nao precisamos sacrifica-los em nome de uma industria da moda que dita luxo e nao se preocupa em proteger os indefesos ......somos as vozes dessas criaturas abencoadas ..Temos o direito sim de se vestir bem desde que nao prejudique esses seres....Nao aceito e nunca vou aceitar....A vida esta acima de tudo

Nai disse... - Responder comentário

hahahahahah
tô rindo até agora e não apelou em nada. Também invejo os vegans, sou amante de churrasco é a lei da sobrevivência.
Pra comer não só pode como deve, agora só pra fazer bonito.... faça-me o favor, isso é muito feio.
Eu não sei o que os caras vão fazer pra arrumar essa caca toda, mais no que depender de mim, eu passo a vez..

Até

Aline disse... - Responder comentário

Olá André

Gostei muito do seu texto e é uma coincidência pois essa semana li em outro blog sobre a Arezzo. O que acho mais absurdo em relação a indústria de peles; é que eles retiram a pele do animal quando ele ainda está vivo. Achei um filme chamado Terráqueos através do youtube e numa das cenas eles esfolam uma raposinha viva e depois a jogam num buraco ainda viva como se fosse lixo. Essa é a minha primeira semana como vegetariana; porque depois de ver esse filme não fui mais a mesma pessoa. Espero conseguir! Tb admiro os vegans e espero ter a mesma força de vontade deles.

Aline

Adrielli disse... - Responder comentário

Aiii coitadinho dos bichinhos!!
Bjos

Anônimo disse... - Responder comentário

Eu acho que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa..
Concordo com Hommer Simpson, "se Deus não quisesse que comêssemos os animais não teria feito eles de carne.."
Mas daí a matar o bichinho pra fazer detalhes de sapatinho e bolsinha é muita crueldade à toa, né não?

Sexy Sadie disse... - Responder comentário

É cruel!!! Vai fazer sapato e acessórios de pele de bicho que comemos, deixem as raposas em paz!!! Já está bem...essas marcas super poderosas, já nem tô falando da Arezzo...Incentivam a criação dos pobres animais em cativeiro, e depois vão lá os "criadores" matam com pisadas, pauladas e arracam a pele, muitas vezes com os bichos vivo., É muita maldade, ruindade, crueldade...Até que ponto as pessoas são capazes de se deixarem corromper por dinheiro? E dinheiro sujo de sangue, de dor, de falta de humanidade!!! Os que vendem, tem um motivo claro...a bufunfa!!! e os que compram, que motivo têm??? Dizer que pagou 20.000 euros por um casaco de pele...Ah faça me o favor...que queimem no mármore do inferno...gente sem alma!!!
Quanto a pele do coelho, aqui na Espanha, é muito comum encontrar casacos e acessórios, porque o coelho está incluído na dieta mediterrânea, e parece que tem menos calorias que o frango. Mas mesmo assim, eu sou incapaz de comer coelho...me dá dó, e tambêm lembro dos açougues nos supers, que vendem o coelho inteiro sem pele, com aqueles olhões vermelhos arregalados, arghhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!

Carolina disse... - Responder comentário

Ué, não entendi. Pode ser carnívoro mas não pode usar sapato de couro?!

disse... - Responder comentário

Nossa, eu fiquei passada com essa história da Arezzo... o pior q naum pararam de fabricar com peles de coelho... já q o coitadinho tem facil reproduçaõ e a carne dele é consumida... EU NÂO COMO CARNE DE COELHO!

Renata disse... - Responder comentário

Não estava sabendo dessa história da Arezzo mas como tudo que se relaciona à indústria de moda podemos encontrar absurdos e gente que os consuma.
Sou vegetariana mas de vez em quando cometo meus "pecados". Os humanos não são carnívoros, são onívoros, querendo dizer que podemos comer carne além de outras coisas (vegetais, legumes, algas, açúcar etc etc). Carnívoros verdadeiros, como o leão, por ex., tem uma dieta exclusivamente feita de carne.
Fico pensando que não preciso nem ver o sofrimento de um animal que tem seu couro arrancado enquanto está vivo para me perguntar se aquilo é realmente necessário pra nossa sobrevivência como espécie. Claro que não é! Mas outra pergunta surge: e se ele não sofresse, e se alguém garantisse que o processo é indolor e cuidadoso, como a maioria das pessoas reagiria?
A dor do outro é um bom parâmetro para questionar nossas ações, mas não deve ser o único.
Então, não é necessariamente o fato de que os animais sofrem pela vaidade humana, mas quanto estamos dispostos a não abusar de nosso poder como seres dotados de inteligência para que outros seres que dividem este planeta conosco não estejam aqui simplesmente para satisfazer a raça humana. Não é só pq conseguimos ou podemos que devemos. Mesmo que se desenvolva um método "humano" de matar um animal que é incapaz de lutar contra a força humana, será que se deve?
A inteligência ou a força não deve ser parâmetro para nossa existência. O ser humano deve se destacar por outra qualidade que só ele tem, que é a compaixão. Animais tem instinto, cuidado e, acredito, às vezes, até amor. Mas ainda não apareceu nenhum outro animal com uma glândula pineal tão desenvolvida quanto a de um ser humano. Se usássemos isso à favor de todas as criaturas que habitam nossa planeta, ia ser melhor pra todo mundo.
Ótimo texto!
Beijinhos!

Juliana disse... - Responder comentário

COncordo com tudo absolutamente!! Estou muito triste com a situação porque eu sou cliente assidua da Arezzo!!! Tanto é, que comprei uma sandália e um peeptoe... sinceramente não sei se são peles de raposa, pois o pelo parece ser bem sintético, e o preço era bem barato comparado ao que se vê de pele por ai! Não quero ser hipocrita, existem MUITAS lojas, inclusive lojas que vendem vestidos de festa que vendem estolas de chinchila (animal que eu crio como pet), raposa, e coelho! Realmente é uma judiação, essas lojas vendem e não são condenadas como a Arezzo foi!
Estou triste e nem sei mais se vou usar os sapatos....
COndeno sim, a Arezzo errou e muito!!
Mas acredito, e ficaria mais aliviada, que agora para se retratarem, deveriam vender as peças e revender completamente o valor das vendas e produção para alguma instituição que defendem e condenam o uso de pele de animais! Alguma instituição fidedigna, que aja, e não apenas fale! Afinal, esses animais já estão mortos, e já sofreram, e agora? Adianta retirarem do mercado????? Sei que muita gente não compraria por ser pele.. mas eu ficaria mais tranquila de saber que todo esse dinheiro estaria revestido para salvar outros, já que mataram esses!
Alguém concorda?

Anônimo disse... - Responder comentário

Temos que pensar o seguinte, em alguns países raposa e coelho são pragas, e acabam sendo mortos independente, e foram esses os animais usados. Não seria melhor do que ter que liberar a caça? E quando se come carne de coelho, dispensa-se apele.

maíra disse... - Responder comentário

nunca comprei na arezzo e nunca comprarei mesmo agora!
gaata, por favor faça um post com os vendedores que vc costuma compra no ebay!
sou viciada lá tbm e gostaria de saber dicas! vi que vc conhece os melhores e mais baratos!
bjus

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Oi, Maira.

Vou fazer sim, pode deixar. Tento deixar pronto pra semana que vem, tá?

Beijinho!

Anônimo disse... - Responder comentário

Ah hipocrisia! E a cadeia alimentar? e o mundo vai continuar sendo assim, que bobagem. Deveriam se preocupar c o controle da natalidade, muitos querem ter um herdeirozinho, (mtos acham que pq casam, tem que procriar, parte do pacotinho) e não sabem como ele vai sobreviver neste planeta, se vai ter qualidade de vida ou não. Isto sim é consciencia. E agora ficam "arezzo p la e pra ca" indignados. Ah não!!! E a cadeia alimentar? Deixemos a hipocrisia de lado. Silvia.

Anônimo disse... - Responder comentário

Aqui um texto coerente sobre o assunto. http://trendmenu.blogspot.com/

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Silvia, juro que tentei entender seu comentário - até para poder concordar ou discordar - mas não consegui. O que tem a ver a cadeira alimentar com o controle de natalidade???

Cadeia alimentar é uma coisa: SOBREVIVÊNCIA. Matar um animal para utilizá-lo apenas como ornamento não é essencial à vida de ninguém. É?

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

E só pra esclarecer: esse post aqui não pede o boicote à Arezzo como aconteceu em muitas mídias por aí, porque isso não faz sentido. Se for assim, teremos que boicotar marcas que testam em animais, empresas que se utilizam de produtos derivados de animais (inclusive para fabricação de remédios etc e tal). Aqui a gente só quis levanter o assunto pra poder conversar mesmo, discutir sobre o que é necessidade ou sobrevivência e o que é supérfluo.

Eu não uso pele de coelho e raposa nunca nessa vida, mas uso sapato e bolsa de couro e como carne. Então, boicoto a coleção de pele da Arezzo e compro a de couro, simples assim - na verdade, nunca comprei Arezzo, é só um exemplo literal.

Não concordo com o boicote que foi sugerido, acho radical demais, mas também não concordo com a opção da marca.

Camille Faria disse... - Responder comentário

Arrasou!!! Rachei de rir aqui com o jeito que vc escreve!

Concordo com o envolvimento cultural da coisa, mas no Brasil não existe cultura de usar peles, até porque nesse calor tupiniquim ninguem aguenta.

A questão toda é com o uso de tais animais. É pra comer, é cultural, é necessário? não? então pelo amor de deus, parem de bancar a Cruela Devil com os pobres bichinhos. Apenas para ENFEITAR? Não dá...

Se fosse os gatos, cachorros e hamsters deles queria só ver se esse pessoal ia usar.

Fico triste, pois gosto da marca, têm sapatos de qualidade, mas essa devo confessar..broxou total.

Anônimo disse... - Responder comentário

SILVIA TEREZA DE CALCUTÁ! Boa tarde!!

Se vossa pessoa pensa mesmo no mundo caótico em que estamos vivendo e do que virá pela frente, plante seu algodão (sem agrotóxicos, claro!) no quintal da sua casa (comprada de pessoas que tiveram o uso de solo comprovado de lutas, suor e honestidade).
Crie bichos da seda em cativeiro, mas dando folga a eles aos finais de semana e, claro, pagando INSS direitinho.
Vá à Eritréia (de barco à vela. Aviões não são autosustentáveis) e contrate garotos órfãos que precisam de uma oportunidade. (Claro, pague INSS à eles em dia também). Contrate virgens camponesas dos alpes para serem modelos de sua marca e "consultoria" em tendências (Não esqueça "Virgens").
Pra terminar, reverta todo o lucro para uma ONG no Congo.
Ah! Comece uma dieta e mande flores para você mesma. Deve estar triste e ser mal amada! Sua vida será bem alegre e com certeza eu também ficarei feliz por vccê!

Krinkous Pittas

Nanci disse... - Responder comentário

Ah, que post complicado...Entendo a indignação, entendo mesmo, mas não concordo totalmente. Eu nunca compraria nada de pele de coelho, cachorro ou raposa, mas amo roupa de couro de vaca. E amo picanha, como amo. E acho que existem mais campanhas sobre como salvar as baleias do que como eliminar os orfanatos do mundo. Se for hipocrisia sou hipócrita e quero melhorar, mas acho que defender seres que nao podem se defender sozinhos revela muito sobre nosso caráter, sejam os seres animais ou humanos. Enfim, pele de bicho é complicado, nem hamburguer de cahorro, nem tamborim de gato, infelizmente (pra ela) dona vaca ainda não conquistou meu coração pra conseguir boicotar seu pleno e delicioso usufruto. Um dia serei um ser humano melhor e serei vegan. Enquanto isso não como nem uso nada com que possa fazer um contato, que nunca consegui estabelecer com nenhuma vaca ou galinha. Continue escrevendo com paixão e sem medo, invejo-o por isso. Abraço.

Nanci disse... - Responder comentário

Ah, que post complicado...Entendo a indignação, entendo mesmo, mas não concordo totalmente. Eu nunca compraria nada de pele de coelho, cachorro ou raposa, mas amo roupa de couro de vaca. E amo picanha, como amo. E acho que existem mais campanhas sobre como salvar as baleias do que como eliminar os orfanatos do mundo. Se for hipocrisia sou hipócrita e quero melhorar, mas acho que defender seres que nao podem se defender sozinhos revela muito sobre nosso caráter, sejam os seres animais ou humanos. Enfim, pele de bicho é complicado, nem hamburguer de cahorro, nem tamborim de gato, infelizmente (pra ela) dona vaca ainda não conquistou meu coração pra conseguir boicotar seu pleno e delicioso usufruto. Um dia serei um ser humano melhor e serei vegan. Enquanto isso não como nem uso nada com que possa fazer um contato, que nunca consegui estabelecer com nenhuma vaca ou galinha. Continue escrevendo com paixão e sem medo, invejo-o por isso. Abraço.

maíra disse... - Responder comentário

VAALEU, vou entrar sempre pra ve se vc postou1

Marluce Santos. disse... - Responder comentário

Uau! Olhando um comentário, ví que ainda existem pessoas que realmente são inflexíveis. Difíceis de entender que matar animais simplesmente para fazer ornamentos é absurdo, cruel.
Sou vegetariana a 25 anos, tenho 30 mas não sou fanática, louca ou encanada com tudo.
Até os 5 anos, minha mãe, que não é vegetariana, me dava sopinhas contendo carne e eu sempre as rejeitava, ela nunca entendeu o porque disso. Sou vegetariana não somente por opção, mas por nascer assim, sou intolerante a todo e qualquer tipo de carne Não como e nem provo. Tenho saúde, sou feliz, não critico quem ama comer carne, mas bebo leite, como disse, não sou radical.
Mas temos que nos lembrar da real necessidade de se consumir carnes exóticas (de caça e não de criadores) e matar somente pra tirar pele, olhos, dentes, em fim. A humanidade tem que se preocupar, discutir, protestar e as vezes, em alguns casos, boicotar (não acho ser o caso da Arezzo, boicotem somente o produto feito de coelho e raposa). Tem muita coisa acontecendo nesse planeta e temos que nos preocupar com tudo desde poluição a "natalidade".
Isso é ter "consciência".
Beijos Lily, lambidinhas para o Atreio e um abraço para o André.

Anônimo disse... - Responder comentário

gente, comer carne nao e questao de sobrevivencia, nao. a gente nao precisa dela pra sobreviver. quer justificar a sua picanha, melhor dizer que gosta e pronto, soa menos hipocrita. mas dizer que a gente precisa de carne e mentira, ta?

Tamiris disse... - Responder comentário

Sei que o post é sério, digno e tudo mais, mas tô desde ontem rindo com o "dá um tapa na bunda de uma mimosa pra você ver".
Tive que comentar! hahahahahaha...

Joart Flores disse... - Responder comentário

Bom, eu sou contra a matança de animais, acho bizarro e ridículo usar peles de animais, detesto gente que nem liga para essas coisas e sou revoltada com tanta maldade futilidade e alienação.
Gostei do post, parabéns.
Beijinhos

claudia disse... - Responder comentário

Ai de quem quiser vestir minhas labradoras,faço picadinho do sujeito ...Sei que como carne,mais não me considero uma hipocrita por ser contra o uso de peles,animais para testes na industria de cosmeticos,animais em circo,como carne de animais criados em cativeiro e que não se encontram em extinção...

Mariana disse... - Responder comentário

Só um comentário: essa história de que gado de corte e gado de "vestimenta" são criados para os fins em específico é a mais pura balela.

Minha família cria gado há 37 anos e todos os bois abatidos para corte tem o couro vendido para produção de artefatos (no caso em particular venda de couro para móvel, mas tem fazendas que vendem para a Arezzo, por exemplo, haha! Ironia, mas fato real).

No Brasil todo o gado criado de forma séria é aproveitado, incluindo as próprias fezes. A única distinção que é feita é entre gado leiteiro e gado de corte, apenas isso.

Obviamente que num matadouro de quinta categoria isso não vai acontecer, mas aí não serve de comparação, né? Sejamos razoáveis.

E para quem não acredita, só jogar no Google "aproveitamento de gado" Brasil, que verá que estou falando a verdade.

Aline Silva disse... - Responder comentário

André, seus posts são INCRÍVEIS!!!
Uma mistura maravilhosa de boas intensões rechadas com um humor fantástico...
Bjim o.O

Aline Silva disse... - Responder comentário

Ops...
* recheadas...rsrs
Bjim o.O

Carla disse... - Responder comentário

Concordo plenamente. As pessoas não entendem quando defendemos esse tipo de coisa, ou quando nos posicionamos contra, por exemplo, o caso da Arezzo, dizendo que somos hipócritas e tal. Porém, é como você disse, é uma questão cultural. Belo texto. Parabéns.

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Posso falar? Concordo com quem diz que é hipocrisia, pq no fundo é mesmo. Se a gente tem tanta pena da raposa e do coelho, pq não ter da vaca e do porco? Eu concordo, infelizmente, mas concordo. Juro que faço o maior esforço para deixar de comer carne e hei de conseguir um dia, mas enquanto isso, ao invés de não fazer nada, luto apenas para que os animais não sejam sacrificados em nome do supérfluo.

Beijos e obrigada a todos que comentaram e deixaram suas opiniões.

Ju disse... - Responder comentário

Mas só deixar de comer carne não ajuda em nada, visto alguns exemplos que alguém citou em algum momento nos comentários - pequenas outras coisas que ninguém se dá conta que vem do animal.

LIFE, BABY, THAT'S LIFE!

É ridículo e injusto matar um animal pra enfeitar? É! É ridículo e injusto matar um animal pra satisfação na hora de se alimentar? É!

É TUDO IGUAL.

A gente não precisa de carne pra sobreviver. É tudo uma questão de escolha - portanto, sou obrigada a concordar que é hipocrisia ir contra materiais de pele de animais quando no domingão vc tá lá saboreando sua picanha como se fosse o último dia da sua vida.

Discussão interminável, como qualquer uma hoje em dia...

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados