09 março 2012

Coluna do André - Mitos folclóricos


Olá amigas e amigos. Hoje trago uma reflexão e análise de alguns personagens de nosso folclore tupiniquim. A palavra Folclore tem sua origem na língua inglesa. "Folk", significa “povo”, e "lore" significa “cultura”.

Logo, como todos sabem, nós paulistanos costumamos usar muito “né” no final das frases "Ontem eu fui ao supermercado, né?! Aí a fila do caixa estava lotada, né?" Desta forma concluímos que "Nelore" significa "Né", afirmação paulista e desnecessária nos finais de frase, e "lore", que significa “cultura”; cultura do né. É lógico!!

Voltando ao Folclore tupiniquim... Alguns ícones realmente valem o rótulo de maus e gozadores (do verbo caçoar), outros, porém, foram mal interpretados ao longo dos anos. Por isso, resolvi expor aqui toda a verdade sobre esses mitos. Já perceberam que nossos personagens nunca são, sei lá, gatinhos fofinhos e branquinhos? É só gente estranha, torta, que solta fogo por tudo quanto é lado. E o pior é que nós aprendemos isso quando crianças ainda. Até parece que somos preparados para o pior logo de cara.

Perae, pô! De tão bizarro, dá medo! Quantas vezes nossos pais cantaram os hits "Boi da cara preta" e "Bicho Papão" antes de dormirmos. Que criança vai dormir sabendo que tem um Bicho Papão debaixo da cama ou no telhado? - "Ah, beleza, mãe. Podexá que eu vou dormir sim. Você vem no meu quarto à noite, fala que o bicho papão tá na tocaia aqui em casa pra me pegar, apaga a luz, me deixa no escuro, vaza do meu quarto e quer que eu durma de boa? Você deve tá tirando uma com a minha cara?!"

P.s. O Bicho Papão tem inúmeras identidades falsas. Já aplicou seu golpe como Cuca e Velho-do-Saco.

Muitos personagens estão em extinção devido a degradação de seus habitats. O Boitatá, por exemplo, vive no fundo dos rios. Conta que é uma cobra flamejante - contradição, pô! - se é uma cobra que vive no fundo dos rios, como que é um bicho desses pega fogo? Isso é autocombustão. O Padre Quevedo tem o dever de investigar e exorcizar o pobre réptil. Reza a lenda que alguns utensílios de escoteiros e aventureiros somem durante as expedições. Na maioria das vezes, pomadas para queimaduras - deve arder barbaridade mesmo.

O Boto

Todos nós conhecemos o Boto e principalmente sua lenda. Trata-se de um golfinho rosa que se transforma num homem lindo e charmoso, que encanta mulheres em festas e bailes - há quem diga que já foi avistado em raves e desfiles de moda. Após conquistar a mulher escolhida, leva-a à margem do rio e a engravida. Antes mesmo de a madrugada acabar, se transforma num boto, volta ao rio e vaza.

Peraê! Estamos falando de um meliante dos mais calhordas que existe. É nítido que ele batiza as bebidas das gurias com um "boa noite Cinderela". Já atordoadas, as convence de ir ao rio com aquele papinho de "ver a luz do luar na margem do rio". Se aproveita, faz o serviço completo (barba, cabelo e bigode) e VAZA!? Um absurdo!

Somente no Fórum de Manaus estima-se ter mais de 200 processos para reconhecimento de paternidade.

Tentei contato por telefone com o Boto, para que ele possa contar sua versão da história, porém, sem sucesso.

P.s. O Boto não tem Facebook.


Curupira

Assim como o Saci (falaremos deste daqui a pouco), é o personagem mais conhecido do folclore. Ex-jogador de futebol frustrado, incompreendido por sua habilidade. Era perseguido por zagueiros maldosos que achavam que ele menosprezava os adversários. Baixinho e "liso", passava pela defesa rapidamente como poucos. Seu cabelo vermelho era sua marca registrada, o que lhe rendeu apelidos de foguinho, ferrugem e fosforinho.

Caiu no ostracismo e se mudou para o mato. Raramente é visto por aí e não gosta de dar entrevistas.

P.s. Curupira marcou 235 gols em toda sua carreira. Todos de calcanhar!


Saci-Pererê

Ex-lutador de MMA, tinha uma facilidade ímpar em golpear seus adversários, afinal, qualquer chute era voadora. Aclamado por muitos, odiado por outros, Ésse-pê, como era chamado pelos amigos, cresceu no interior. De família pobre, tentou a sorte grande em outras cidades. Trabalhou em vinícolas amassando uvas para produção de vinhos Carmenére e Merlot. Devido ao controle de qualidade requerido pela ANVISA, pegou gosto pelo uso de toucas, em especial, na cor vermelha. Aos 15 anos, conheceu Lobisomem, um velho rabugento e alcoólatra que o acolheu, levando até a academia de um grande amigo, a Mula-sem-CabeçaNela, Saci começou a treinar Muay Thai e aos 18 fechou contrato com o UFC, onde lutou e derrotou outra lenda, só que dessa vez lenda Croata, o temível ‘Cro Cop’.

Encerrou sua carreira devido ao triste vício que possuía desde adolescente, o crack. Ésse-pê era visto utilizando seu cachimbo por todo lugar e, após uma luta, foi pego no exame antidoping. Hoje Saci faz bicos como mascote de clubes de futebol e se apresenta em praças públicas em rodas de capoeira.


*André Celegato é historiador, metaleiro e toma Paratudo.

13 comentários:

Viviane Moreira disse... - Responder comentário

Esse texto era tudo que eu precisava hoje!!! Ri alto.
O Boto não tem facebook? kkkkkkkk
Genial Seu André!!!
Eu me lembrei de outra música da infância que nunca gostei: Atirou o pau no gato! Essa é uma dessas músicas "infantis" sem noção, essa ainda é pior que as que vc citou, por motivos óbvios!!!
Minha tarde ficou melhor!!!
Bjsss ao casal!
Vi

Joana Azevêdo disse... - Responder comentário

Poxa, eu ri alto com a história do Nelore bem como os botos sendo vistos nas raves!!! kkkkkkkkkkkk
Quanto ao Saci pererê, eu tinha conhecido a história que ele - como você falou - era viciado em crack, mas o fato de ele não ter a perna é porque tinha penhorado ela pra comprar drogas.

=**, Jowzinha
Pensando Música.

Deveria estar estudando disse... - Responder comentário

Que diabos é "Paratudo" minha gente?

::celegato:: disse... - Responder comentário

Paratudo, ou Stoperall, é uma bebida de raízes mistas com aroma de Anis. Beber levemente gelado. Corta ressaca que é uma magavilha!

Marinah Gattuso disse... - Responder comentário

Oi. Tudo bem?
Adorei o seu blog e já estou seguindo de todas as maneiras possíveis.
Esse texto está totalmente perfeito, eu ri muito com ele (:

Beijos,
Marinah Gattuso

Blog: http://marinahgattuso.blogspot.com

Nadja Barros disse... - Responder comentário

André, que texto elucidativo!
Vou até copiar e deixar ali, na agulha, pronto pros meninos apresentarem na escola, vai ser 10!!!!

Semana passada meu menor pediu pra dormir com o irmão, disse que achou ter visto a mula-sem-cabeça no banheiro. Sério!

O mais velho já está escolado e descolado, pragmático que é, encara os medos e pesquisa, assim como você, me disse ontem, veja a coincidência, a pérola que faltava pra deixar seu texto perfeito:

" Quando o Bicho Papão vai dormir, ele deixa a luz acesa, com medo de Chuck Norris." ... tempos modernos!

Beijão na Lilly!

Abçs!
:)

Anônimo disse... - Responder comentário

eu tomo paratudo tbm !!! hahahahah
achei que só eu e meus amigos e familiares comprassem e bebessem o melhor remédio para todos os males! hahahahaha

beijos

Anah

ValLindinha disse... - Responder comentário

Hoje eu preciso de PARATUDO!!!! Huahuahua
A Girafa vai estar solta no meio dos brotinhos....

Lilly, seu marido é mto comédia!

Karin disse... - Responder comentário

Já estava com saudades dos textos de seu marido...
Parabéns pela "profunda" reflexão, André!
Bjs!

thamy disse... - Responder comentário

Demais!!! hahahahahahahahahahahahahahahahahahahaha

Marluce Santos. disse... - Responder comentário

Hilário!
Amei!
Bravo!

Anônimo disse... - Responder comentário

Boto nao é golfinho...

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Ah vá! Jura?? Não acredito...

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados