15 agosto 2012

Sobre consumo e exageros


A verdade é uma só: poucas coisas me deixam tão feliz quando comprar. Não serei hipócrita em dizer o contrário. E isso não é mérito dos blogs de moda e do consumismo que os rodeia, eu sempre fui assim. Meu primeiro emprego pagava R$ 50,00 por semana. Eu pegava o dinheiro na sexta-feira e gastava tudo no sábado, no shopping. Não importava se fosse um sapato novo, uma calça jeans, um vestidinho, só o fato de comprar já me deixava animada. Pouco mudou de lá para cá.

A sensação de vestir uma roupa nova tem em mim um poder embelezador. Sim, eu me sinto mais bonita quando estou vestindo peças recém compradas, por mais ilógico que possa parecer.

Isso pode soar fútil e a verdade é que não deixa de ser. Comprar é um ato inconsciente que nos traz a sensação de poder. Eu posso ter uma bolsa nova. Não porque eu precise, mas porque quero. Eu quero, eu posso, eu tenho. Isso se torna um vício se a gente não colocar freio. Como fazê-lo? Eis uma questão dificílima de responder - ainda que já exaustivamente discutida - se eu soubesse já teria parado de comprar, rs...

Acontece que quando a gente pensa nas viagens que deixou de fazer por falta de grana, nos jantares com amigos que evitou para não desfalcar a conta bancária, nas inúmeras chances que perdeu porque gastou tudo em roupa e sapato, aí sim, a gente entende que algo está errado. E é nesse momento que você percebe que os prazeres da vida não estão nas coisas que compramos e mostramos em nossos blogs. Isso tudo é passageiro, efêmero, desimportante. A roupa fica velha e ultrapassada. As lembranças das viagens, dos momentos com gente querida, essas sim, não saem de moda jamais.

Uma vez ouvi Cris Guerra dizer que seu maior patrimônio era seu armário. Entendo em partes, Cris é ícone, é precursora dos blogs de look do dia no Brasil, suas roupas lhe deram muito do que hoje ela tem (méritos, muitos méritos, acho a Cris o máximo e absolutamente merecedora do sucesso que faz). Mas ela é um caso em um milhão, não podemos esperar que nossas roupas façam tanto por nós. 

Consumir conscientemente é um ato que requer prática (especialmente se você for a louca do cartão de crédito), mas não é impossível. Pequenas atitudes podem trazer grandes resultados. Lembram-se do The uniform project? Pensando nisso, eu e algumas blogueiras amigas iniciaremos um projeto bem bacana, que tem tudo para ser delicioso tanto para nós quanto para quem nos acompanha. Fiquem ligadas, dia 20 daremos mais detalhes. 


Por enquanto, posso pedir a ajuda de vocês? Quais são suas dicas de consumo consciente? Como vocês lidam com a vontade desenfreada de comprar sempre, estar na moda sempre, ter mais sempre? Vamos juntar tudo isso num post colaborativo? Dicas que servirão para todas nós. 

43 comentários:

Rejane Alves disse... - Responder comentário

Que bacana essa ideia Lily.
Bem..eu mudei meio forçada, como abri escritório recentemente, tenho dividas com coisas do escritório, e pra poder me manter tive que abrir mão de certas coisas e pensando lá na frente.
Fiz dois desafio de ficar sem comprar roupa e calçado por algum tempo, cometi alguns deslizes e acabei comprando, mas o que comprei foi coisas necessárias. Mas me serviu como experiencia,como aprendizado, hoje consigo entrar em uma loja e sair sem comprar nada, e quando compro procuro fazer compras de algo que realmente vou usar por várias estações.
É isso...vou aguardar o projeto de vocês.
Beijos

Comer, Blogar , Amar... disse... - Responder comentário

Adorei o texto!
E to bem curiosa pra saber rsrs

Mil beijinhos
Kammy
Www.ComerBlogarAmar.com.br

Bianca Ladyhawke disse... - Responder comentário

Bom, eu tenho o costume de, quando eu gosto de uma coisa, compro várias do mesmo tipo, como meia-calça, óculos, relógios, melissas, tênis... mas quando me casei, em janeiro desse ano, outras prioridades entraram na lista, e muitas vezes eu deixei de comprar uma coisa pra mim pra comprar algo pra casa. Esse ano então, tenho feito assim: primeiro pago as contas da casa, depois faço as compras do mês (deixando sempre dinheiro pra gastar na feira ou no açougue durante a semana), depois vejo se a casa tá precisando de algo e só depois compro algo pra mim. Aí sim eu vejo se eu realmente tô precisando, se eu vou usar muitas vezes, se eu já não tenho algo parecido... isso fez com que eu diminuisse MUITO o meu consumo mensal e que a conta do cartão de crédito diminuisse consideravalmente.

Acho que me tornei uma pessoa mais responsável =)

Bianca Ladyhawke disse... - Responder comentário

Ah, esqueci de dizer que muitas vezes deixo de comprar coisas pra mim pra comprar algo pro marido, esse tá sempre precisando de algo...

Jowzinha disse... - Responder comentário

Eu não me considero muito consumista. Claro que tenho a loucura de vez em quando de comprar desenfreado, mas quando penso que quem paga a conta do cartão é minha mãe, quando penso que vai faltar dinheiro pra outra coisa mais divertida, me bloqueio.
Outra coisa que penso é num plano pro futuro. Por exemplo, fiz compras de roupas no meu aniversário em julho. Ganhei perfumes, bolsas e se eu for ver não preciso de nada com urgência e, como no fim do ano terei a possibilidade de viajar pra Gramado, prometi só gastar lá.

=**

Leila disse... - Responder comentário

Nossa você disse absolutamente tudo que sinto, e agora estou ansiosa pra saber sobre a tal ideia.Vou ficar com vocês nessa.Já amei a ideia.Bjooo

Fina Flor Ateliê disse... - Responder comentário

Olá, adorei a iniciativa, totalmente dentro do meu trabalho monográfico.
A visão que temos que ter do consumo consciente, tem que partir do princípio de ultilização total de um produto.
O ato de comprar em si, pode ser atenuado pela maneira com que um produto é aproveitado. Lembrando que, o fato de uma peça ser chamada 'verde', não quer dizer que possámos ter muitas, afinal, ser 'verde' significa que o processo de produção degradou/impactou menos o meio ambiente, e se compramos muito, estamos patrocinando uma grande produção, que irá em algum momento causar danos.
Depois desse rodeio teórico todo, rs, posso dizer que, se não vai ultilizar mais uma peça como vestuário, transforme-a e continue utilizando, sendo como doação, pano de chão, flores de cabelo, capa de almofada, fuxico, ou seja, artesanato puro mantendo a sustentabilidade. Fica a dica...
Abç!

Louise Trindade disse... - Responder comentário

Lily axo que a regra número 1 pra quem não tá podendo comprar, seja por falta de grana ou ideologia mesmo é a seguinte: Customizar!
Customizar pra mim virou vício, é simples...abrir o arméria pegar um monte de roupas encostadas e pensar: por que não me servem mais? o modelo tá ultrapassado? Já não me sinto tão bem naquele contexto? Que tal transformar então? é cortar uma manga que não nos favorece, fazer uma bainha, aplicar umas tachas e tingir e criar outra it peça, "novinha" como se tivesse saído da loja!
Espero ter ajudado, faço essas coisas direto lá no meu blog...se quiser conhecê-lo:
www.pobreousada.blogspot.com

Unknown disse... - Responder comentário

Fiquei surpresa com o assunto em um blog de moda! Sou da área financeira, 44 anos, separada (namorando!) com 2 filhos adolescentes. Extremamente controlada, adoro coisas novas, mas tenho outras prioridades, como cuidar da educação dos meus filhos, o conforto da minha casa e viajar!
Este ano realizei meu grande sonho, fui pra Paris e Londres com meu namorado!
Precisamos ter objetivos maiores do que comprar roupas e sapatos, investir em coisas que nos farão melhores, não só na aparência!

Estou ansiosa sobre o trabalho de vcs, se puder ajudar em algo, fico a disposição!

Beijos!

Denise

Maya disse... - Responder comentário

Bom, minha dica de consumo consciente é: ter um objetivo. Mas talvez porque eu não seja nada consumista hahaha. Fico meses sem comprar nada, especialmente se estou juntando dinheiro para uma viagem, por exemplo. Se você tem planos como comprar uma casa, um carro, fazer uma viagem ou especialização, deveria ser mais fácil parar de comprar roupas e sapatos muitas vezes desnecessários, por exemplo, a fim de economizar e concluir o objetivo principal.
:)

No Interior disse... - Responder comentário

Lily, adorei a ideia. Muito bacana mesmo.
No meu caso, pra eu começar a parar de comprar desenfreadamente, foi fazer uma promessa, nem me lembro mais, mas tá funcionando. To quase a 1 ano sem comprar nada (tirando calcinhas e 1 pijama, porque estava precisando mesmo). E a única roupa que ficou de fora foi meu vestido de formatura. Porque esse eu mereço pelo esforço de tantos anos me sacrificando pra conseguir me formar.

E outra foi colocar na minha cabeça que preciso passear mais com meu marido antes de termos filhos, então juntei útil ao agradável. E como uso uniforme, está sendo muito produtora passar por essa fase.

Beijos da Paty!

Flávia disse... - Responder comentário

O Lily, já estou ansiosa pela novidade, e esse é o meu maior problema ANSIEDADE, é justamente o que me faz gastar sem pensar, mas hoje como não tenho cartão e tudo que desejo tenho que comprar com dinheiro, esse é o meu freio, tipo dou mais valor e acabou pensando bem antes de comprar. Acontece com mais frequencia eu me pegar saindo de uma loja depois de estar com os braços cheios de escolhas, mas aí paro e penso, eu devo realmente comprar essas coisas, penso tanto que largo tudo e saio com uma sensação boa de responsabilidade!!
Vou ficar ligada para saber a novidade de vocês. bjsss Flá.

Liz disse... - Responder comentário

Oi lily!!
Adorei esta idéia.
Eu confesso que sou uma consumista descontrolada, hoje inclusive bloquei meu cartão de credito pq não sei me conter...e o pior que mesmo assim sempre dou um jeito de pegar comprar no cartão de alguém. Ai qdo chega o fim do mês q vi q torrei td o meu salário, me bate uma deprê... Então assim vou esperar ansiosa pelas dicas.
Bjs
Liz
Descedoponei.blogspot.com

Elaine disse... - Responder comentário

Lily adorei a ideia, claro! Acho q vcs poderiam nos ensinar como podemos fazer várias combinações com as roupas q já temos, ou mesmo ideias para modificar como a Mel fazia no blog dela por exemplo. Beiijos e to aguardando hein!

Laura Moreira disse... - Responder comentário

Que legal, Lily! Tenho certeza que será bem legal!
Eu trabalho em um escritório e presto consultoria, não tenho salário fixo, recebo pelo que produzo (o que felizmente mudará em breve \o/), então não é todo mês que posso comprar algo pra mim, afinal, tenho uma casa alugada, um gato, tento colocar algo na poupança e ainda alguns gastos, que não são pequenos. Então no meu caso é: só compro de o dinheiro estiver sobrando. Faço milhares de contas com o dinheiro, sempre. Só compro quando tenho certeza.
Claro que tem vezes que eu chuto o pau da barraca. Já comprei além do que podia, mas nunca me endividei. Só compro a vista. Se o dinheiro acabar, acabou. Comprei só aquilo e pronto. Como não sei como será o próximo mês, não posso ficar contando com prestação.
É isso.

DricaPeixoto disse... - Responder comentário

Antes de comprar eu me pergunto se eu quero esse item ou se eu realmente preciso dele. Mas esse tipo de pergunta pode não fazer efeito para algumas pessoas.

Eu, diferente de muitas pessoas, não enjôo das mnhas roupas e para minha sorte elas duram uma eternidade.
Tenho peças no meu armário que são de 2005. Isso também se torna um trunfo para quando ganho um pouco de peso. Tenho roupas que são mais sinceras do que o espelho e isso me ajuda a manter a forma.

Sempre que compro uma peça, me desapego de outra. Isso também é um exercício bom, pq o velho dá lugar para o novo.

Depois da minha primeira viagem para o exterior o meu consumo diminuiu ainda mais. Depois de cada viagem faço um exercício de economizar para ter recurso ($$$) de sobra e não passar vontade.

Outra coisa que facilita, meu gosto é muito particular e raramente me abalo com algum modismo ou lançamento. Eu realmente só compro se estou precisando e se eu gostar muito do que estou experimentando. Se não somar as duas coisas, não compro.

Aos poucos estou montando um armário mais funcional, sem pressa de ser feliz e aproveitando cada viagem para voltar com mais cultura e com mais novidades para o meu armário.

Sheila disse... - Responder comentário

Lily, é tão bom ver vc de volta :)
Quando eu fico louca para comprar eu tento lembrar das peças que já tenho, se de repente eu poderia me virar com o que está no armário, seja roupas, calçados ou cosméticos. O bom mesmo é vc fazer aquela organização nos seus pertences para relembrar o que está no fundo do armário. Eu sou a louca da saia longa preta... Percebi que tenho 4 super parecidas... Gastei à toa mesmo e agora tento me controlar mais porque quero poder juntar $$$ para viajar mais por exemplo. Muito legal essa iniciativa de vcs, bjo

Viviane Moreira disse... - Responder comentário

Que bacana!!!!
Adorei!
Lendo suas linhas iniciais percebi que em partes somos iguais, em partes. Primeiro que nosso desejo por compras é igual, mas diferente de você, seguro minhas compras.
Eu sempre recebi pouco, e sempre passei vontade, mas nada de ficar triste, só tinha que ter paciência e esperar um preço o qual eu pudesse bancar.
Hoje minha situação financeira ainda não é das melhores, as contas nossas do dia-a-dia vem em primeiro, se sobrar vai pra minhas gatas, sobrou mais um pouco?! Eebaaa vai pra uma peça de roupa!
Por anos e anos eu não tinha nem pra liquidação, mas graças a Deus eu conseguia pagar a conta do veterinário!
Por essas dificuldades que passei eu olho esses modismos com calma e sempre penso se eu lá na frente vou usa-los de novo!
Muita coisa eu curto e acho lindo, mas não compro! Acho lindo os sneakers, mas não é pra mim. Acho lindo esse tons pastel, mas não é pra mim, gosto de cores quentes. Acho lindo essas calças floridas, mas tenho coxas grossas, então passo. Gosto de fluo, mas nos outros fica bem melhor que em mim... e assim vai.
Por muitos anos deixei de comprar acessórios, hoje eu compro! No ebay. :-D
O que vocês vão fazer será bárbaro e muito válido! Gastar em roupas é bom, mas juntar o dinheirinho suado e comprar um terreno ou a tão sonhada casa é melhor!!!
Eu não tenho nenhum dos dois, mas esse ano finalmente consegui abrir uma poupança, então estou no caminho! :-D
Outro luxo que hoje posso me dar sabe o que é?! Poder sair com os amigos e beber aquela cervejinha!
Minha dica de consumo consciente é pensar no amanhã e no que realmente importa na vida de cada um, olhar pra dentro de si.
É isso! Desculpe se me estendi demais, mas acho o projeto bacana e o que você vê tanto por ai é quero quero quero e pouco ser/ sou.
Beijos e acompanhando de perto!
Vi

soshopaholic disse... - Responder comentário

Tô adorando o povo compartilhando altas dicas aqui!
Amiga, sou que nem você, quando estou de roupa nova, é como se me reinventasse. me sinto mais bonita. Me sinto melhor comigo mesma. Isso é muito louco, e o que tem funcionado pra mim é a falta de dinheiro mesmo, uma forma de psicologia meio tapa-na-cara-mundo-real, mas acho que fazer pequenas promessas para si mesmo funciona sim (pelo menos no curto prazo): deixar de comprar para viajar, para comprar algo pra casa, estipular um prazo para comprar algo (tipo, uma vez por mês, uma vez a cada dois meses), etc.

Beijocas!

Maristella disse... - Responder comentário

Querida Lily,

Prazer!

Você é, simplesmente, encatadora!!!
Fiquei triste quando decidiu para te blogar por causa de opiniões diversas ou desgradáveis, e estou muito feliz agora com seu retorno, você brilha, nasceu pra brilhar é cheia de luz!!! chega de dar bola pra quem vive na sombra viu?

adorei o projeto de vocês, que ideia bacana, nossa geração é um pouco vítima dessas apresentadoras que nunca repetem roupas e estão sempre lindas e felizes como se a vida fosse só isso! Libertemo-nos dessas algemas já!!!!

As dicas que uso: comprar roupas de segunda mão e fazer bazar de trocas entre azamigue.

Sorte pra vocês!!!

abraços de luz!

Maristella

Anônimo disse... - Responder comentário

To tendo que mudar forçada também. Tenho anos gastando milhares de reais por mês em roupas, agora vou ter que parar porque acabei de comprar um apartamento. Tem financiamento pra pagar, reforma, móveis... mas aí só mudei o foco do meu consumismo, to agora comprando coisinhas de casa... rs.
Vale ressaltar que só pude comprar meu apzão grandão e lindão porque, apesar de comprar pra cacete, sempre guardava dinheiro todo mês pra dar uma entrada.

Gê Simões disse... - Responder comentário

Ola

O que posso dizer é que justamente pensando no dinheiro que "joguei'fora com futilidades, roupas, sapatos, acessórios, bolsas, deixei de fazer muitas coisas como vc mesma disse, vc descreveu perfeitamente como nos sentimos comprando e usando algo novo, mas o novo dura só aquele primeiro momento, quantas peças comprei pelo calor da emoção e percebi que não tinha nada a ver comigo, e muitas não tirei nem a etiqueta, e pra que ? Pra dizer eu tenho....
Hoje estou a quase 9 meses sem comprar roupas, sapatos e bolsas, e estou bem. Aprendi a diferenciar o eu quero, do eu preciso, e mesmo algumas vezes saindo pra comprar algo acabei voltando sem nada nas mãos.
Acho que o fato de se perguntar, parar para pensar friamente e não emocionalmente pode nos ajudar a controlar o consumismo, da mesma forma que você de dieta acabou de almoçar e olha aquele doce maravilhoso com 1000kcal, você tem a escolha de comer e se arrepender do estrago que ele vai fazer ou simplesmente dizer não quero, não preciso disso.

Vou acompanhar esse projeto pois achei muito interessante.

Beijos

http://geumanovamulher.blogspot.com
http://fofinhachega.blogspot.com

Cynthia Le Bourlegat disse... - Responder comentário

Oi Lily! Adoro vc e seu blog. Já comprei vários colarzinhos de dicas que vc deu no ebay. Então eu sou uma mãe de vaidade média, adoro um sapato novo, vira e mexe eu idealizo que preciso comprar uma peça de roupa ou sapato específico, mas sou pão dura e meio crafteira, ai quase sempre acabo desistindo de comprar e me virando com o que tenho, customizando, cortando manga, costuando faixas de tecido, etc.. Adoro um tingimento tb e dá pra fazer com tintura orgânica. beijo querida

Marcella disse... - Responder comentário

Lily! Sabe o que eu tenho feito para ser mais consciente? Para cada roupa que compro, retiro algo do meu armário para doação ou caso seja uma peça boa, vendo em bazar, brechó...Tem dado certo, montei meu bazar on line no mercado livre, e a venda das coisas, ajuda na compra das novas! Outra coisa que parece fútil, mas adoro, é tirar fotos dos looks nas lojas por aí, principalmente as de departamento, chego em casa e vejo o que eu tenho parecido para fazer! Quando a gente vê na loja, dá uma vontade danada de comprar pq ficou lindo no manequim, nem pensamos se já temos parecido ou não! Fotografando e procurando coisas parecidas em casa, descobrimos combinações bem legais que nem sabíamos que tínhamos no armário!

Monick Melo disse... - Responder comentário

Lily que felicidade você de volta (e linda como sempre).

Bem, sou de família humilde e nem sempre tive o que queria porém meus pais sempre fizeram o que pudiam para dar o melhor a mim e a minha irmã. (lembro que o dinheiro do primeiro PIS de mainha ela comprou um sapato vermelho que eu tava doida, na verdade queria um all star mas era caro e ela não pôde comprar; mas usei esse sapato vermelho até furar o solado rsrs).

Acho que por ter crescido com essas "limitações" virei uma consumidora compulsiva, até inicio do ano passado me vi com a corda no pescoço por dívidas com roupas, sapatos, acessórios...no final abria o guarda roupa e dizia que não tinha nada. Fiz empréstimo consignado pra pagar dívidas de cartão de crédito num mês e no outro tinha estourado os 02 cartões...ai devia o empréstimo e os cartões...chorava direto, vivia estressada mas comprava até coisas que nunca usei na vida. Até que decidi mudar; fui demitida de onde trabalhava e com o dinheiro da rescisão e seguro desemprego quitei TUDO. Fiquei mais lisa que pau de sebo mas não devia mais nada. Hoje trabalho mas evito usar cartão de crédito; procuro comprar à vista e tenho uma planilha orçamentária que me ajuda a controlar os gastos. Fiz uma varredura no guarda roupa; doei o que não usava; aprendi a customizar e hoje posso dizer que sou outra mulher.

Adorei essa iniciativa de vocês sobre consumo consciente porque ter blog de moda virou "tendência" e muitas meninas são capaz de dar todo o salário numa Birkin simplesmente porque uma it blogueira usa e diz ser o máximo. (até pode ser mas não dou mais de R$ 200,00 numa bolsa), enfim vai ser muito bom esse alerta e estou super curiosa pra saber mais sobre esse projeto.

Desculpa o post imenso mas espero contribuir com minha história de vida. Beijooooooooooooooooos

Anônimo disse... - Responder comentário

Oi Lily,
Vc está vendo porque ficamos tããão tristes quando você 'foi embora' do blog?...É que os seus looks do dia, sua casinha, seus gatinhos fofos são apenas coadjuvantes. O que faz a diferença é que você tem o que dizer e sabe escrever muito bem. São idéias novas, informações e histórias que valem a pena serem lidas!
Espero que você continue por aqui por muito tempo e seja feliz escrevendo para nós!
Um beijo
Rejane

Kukla disse... - Responder comentário

Adorei a novidade no blog. E é tão bom poder te ver de novo por aqui, sempre linda e com coisas boas.
Sobre as suas perguntas: eu não sou de andar na moda, mas gosto de me vestir bem, sem gastar muito. Sou secretária, então invisto sempre no que eu posso usar em meu trabalho: se eu uso uniforme, invisto em jóias e bolsas; se não, eu compro camisas sociais, calças sociais, sapatos concofortáveis. Não gosto de gastar muito, então sempre invisto em uma calça jeans poderosa. E o meu maior gasto até agora foi uma bolsa de 300 reais e espero nunca mais cometer uma loucura dessas.
No mais, acredito que o ideal é se sentir bem, confortável e segura. E isso com certeza vai além do guarda roupa.

Um beijo para você e suas leitoras lindas!

Luciana disse... - Responder comentário

Muito pernitente o assunto e a iniciativa. Tenho me perguntado sempre: como parar de gastar com roupas e sapatos que me darão prazer uma, duas vezes e que ficarão guardados depois. Quando aquela moça bonita começou a fazer o blog "Um ano sem Zara" foi um tapa na minha cara e consciência, pq justo naquele início de ano não pude estudar por falta de grana. Claro que aprendi algumas lições, mas sinto que posso ser melhor! Estou ansiosa pelas dicas de vcs!
Bjo!

Sté disse... - Responder comentário

Lily, adorei a ideia de vcs..
no começo do blog eu surtava também, e as vezes ainda surto! mas eu penso bem antes de comprar alguma coisa, o quanto vai me ser útil e até quanto estou disposta a pagar!
e além disso, tenho um objetivo muito maior que é guardar uma grana..então, essa é minha prioridade! todo mÊs tiro o tanto que me propus a guardar e pronto! se der pra comprar alguma coisinha deu se não não.....temos que aprender a nos virar com o que temos, afinal, ainda não sou patrocinada por nenhuma marca..rs... bjs!

Nai disse... - Responder comentário

Lily
Engraçado já tive a fase de só me sentir bonita com uma roupa nova, se tinha um compromisso no sábado começava a comprar na segunda, ai na quarta achava uma coisa bacana,na sexta comprava outra e se duvidasse no sábado outra.
O resultado de tudo isso?, ficava no vermelho a maior parte do tempo, equilibrando o orçamento igual pratos no fim do mês.
As coisas começaram a mudar quando fui morar sozinha, pagar, aluguel, facu, me manter com meu próprio dinheiro me fez colocar os pés no freio na marra.
De vez em quando faço umas estrapulias aqui, outra ali, mais não gasto todo meu salário com besteiras como antes.
Mudar o foco da paixão pode melhorar um pouco, planejar uma viagem, um curso, iniciar um esporte, pode ser tão bacana quanto o desejo de gastar o talo em uma coisa que em menos de um mês não vai ter mais aquele frission pra você.
Agora se nada disso der certo, banque a louca dos cartões quebrando todos e ficando apenas com um para emergência, se estiver usando o limite do cheque especial há meses, converse com a gerente e negocie uma taxa baixa quite tudo e peça para tirá-lo da sua conta por um tempo, até você pagar tudo.
Só compre roupas e sapatos se for a vista, isso te faz sem sombra de dúvidas gastar menos, tratamento de choque,rs
Beijinhos

Iara disse... - Responder comentário

Oi.
Te acompanho tem anos, mas acho que nunca comentei aqui. Só queria dizer que sua forma de escrever me agrada muito, vc parecer ser uma pessoa muito bacana de ser ter como amiga, legal, sem frescura, verdadeira.
Sobre o tema de hoje, bem eu sou uma consumidora bem exagerada. O que me deu freios nos ultimos tempos foi a mudança de foco, passei a economizar nas roupas para pagar a festa de casamento dos meus sonhos. Mas agora que a festa já tá paga, eu ainda me sinto culpada em gastar com roupa e sapato, como se eu devesse fazer muito mais com essa grana que isso. Não sei se é passageiro, se voltarei a comprar feito louca pelas renners e c&a da vida, mas por enquanto me sinto feliz conseguindo colocar alguma grana na poupança e economizando para uma viagme bacana que farei em outrubro.
bjão

Nativinha* disse... - Responder comentário

Lilt que bom poder ler seus posts novamente.
Esse é assunto tão importante e infelizmente é muito pouco discutido entre os blogs.
Se fosse dar a minha opinião sobre o assunto aqui, escreveria uma bíblia então vou pular só para a parte da dica.
A minha dica, para controlar os impulsos são as trocas. Descobri os grupos de trocas (facebook, orkut e agora até pessoalmente) e adoro! É uma maneira prática e barata (de graça!) de renovar o guarda roupa.

bjos

cademeuchapeu disse... - Responder comentário

Gosto de controlar os gastos. Sempre tenho em mente o quanto quero gastar e qual peça quero comprar... Se der pra comprar outras bem, se não, deixa pro próximo mês.
O mais importante é sempre comprar a vista, pra não correr o risco de se endividar depois.

Milena disse... - Responder comentário

Olha Lily, depois de quase literalmente (sem exageros) quase falir por causa de consumismo exagerado, eu tive que parar pra pensar..meio que obrigada, pq eu literalmente não tinha mais dinheiro, nem limite no cartão, nada...Quem me ajudou foi meu marido, pq afinal uma hora eu tive que falar que estava dura. Sentamos, fizemos as contas, botamos tudo na ponta do lápis e ele me ajudou. Morri de vergonha, parecia que eu era uma viciada em drogas enfiada num buraco pedindo ajuda. Tive sorte de sair do buraco. Mas muita gente não tem um anjo desse pra ajudar a controlar as contas. Mas desde aquele dia, um botãozinho ligou na minha cabeça e eu comecei a pensar direito. Como você disse, passei a dar mais valor para os momentos felizes com gente querida do que para um par de sapatos. E passei a usar mais a criatividade e fazer combinações com peças de roupa que nunca tinha feito, passei a usar as peças com acessórios diferentes e tudo parecia novo, de novo. A gente acostuma..eu acostumei. Hoje tenho uma casa bonita num condomínio, recém comprada, troquei de carro e até fiz uma viagem de estudos pra NY. Se eu ainda fosse aquela louca do cartão de 6 anos atrás e se não tivesse o anjo do meu marido pra me apoiar, jamais teria conseguido. Mas enfim, FORÇA e PERSEVERANÇA - todas "consegue"!rsrs
beijos
http://milenicesdamilena.blogspot.com.br

Carol Burok disse... - Responder comentário

Gostei da ideia, Lily. Ansiosa para saber mais, vou ficar de olho!

Bjos,
Carol

Lidy disse... - Responder comentário

Oie..

tava pensando nisso essa semana...sobre as viagens que deixei e deixo de fazer...por gastar demais....mais meu caso não é com roupa....e com comida...eu deixo de comprar qualquer coisa..pra comer numa churrascaria..numa pizzaria....resultado..to pobre e gorda hehehe...mais enfim...tenho que melhorar..

beijão!

Andreia Rodrigues disse... - Responder comentário

Olá Lily, gostei muito da idéia e estou esperando pelas novidades!
Então, eu adoro comprar roupas e calçados. Gosto de novidades e usar o que está na moda.
Trabalho no centro, bem ao lado de várias lojas, então na hora de almoço, costumo dar uma volta, e basta entrar na loja, sempre encontro algo que gosto, e é bem difícil de me controlar.
No final do ano passado, eu fiz uma planilha e calculei quanto gastei no cartão de crédito com compras.Eu fiquei assustada com o valor que gastei. E comecei a pensar, quanto coisa mais interessante eu poderia ter feito com todo aquele dinheiro: viajar com o marido, comprar alguns objetos de decoração para casa, ter trocado de carro, ter ido mais a shows, teatro, cinema, ter saído para almoçar com a família, ter feito aquele curso de dança que tanto gosto, ter lido mais livros... enfim... Várias outras coisas que tem outro valor e que com certeza, me acrescentaria como pessoa. Então eu me comprometi a comprar realmente aquilo de que precisava e a colocar a cabeça para funcionar e usar de maneira diferente o que eu já tenho no guarda-roupa.
Fiz um compromisso comigo de ficar 01 ano sem gastar, consegui ficar 03 meses. Fiquei frustrada porque não consegui o 01 ano, porém, eu aprendei muito nestes 03 meses... Na hora da compra penso se aquela peça realmente combina com meu estilo e com as coisas que tenho em casa, se é uma peça de boa qualidade e se vou usar por várias estações. Vejo também se já não tenho algo parecido em casa.
Essa reflexão na hora H, quando estou ali na loja de departamento carregada de peças, tem me feito deixar muitas coisas, levar o que realmente vale à pena e muitas vezes, também, eu saio da loja de mãos vazias. E bem feliz por ter o controle sobre mim mesma.
beijos,
Andreia

ValLindinha disse... - Responder comentário

Mulheres, mulheres....
Vi/ouvi em algum lugar que se não fossem as mulheres, as geladeiras seriam vermelhas até hoje.
Bom, mas fato é que nós nos sentimos extremamente mais confiantes com um vestido/sapato/brinco novo e moderno.
Eu vou assistir, pq futil ou não (ha mtas outras futilidades mais destrutivas nesse mundo)eu sou A CONSUMISTA.
Tbm adoro gastar, não só comprar! Gosto de gastar com viagens, passeios, presentes e a cervejinha do fim de semana, pq meu lado masculino é macho! rsrs

Lily Zemuner disse... - Responder comentário

Hahahaha... adorei, Val! Também sou dessas!

Anônimo disse... - Responder comentário

Lily achei a ideia de vcs genial!
Posso te pedir uma coisa???
-Voltemmmmm!!!E voltem com tudo!O que precisamos mesmo eh de vcs blogueiras gente de verdade e nw de dessas que se intitulam "it-bloguetes",que sugerem moda surreal mto longe da realidade brasileira.Acredito que nw somente eu, mas como mtas meninas precisam de mais realidade e menos fantasia e,creio que vcs podem e tem um papel fundamental na blogosfera.
Mil beijos no heart,
Mika.

Steeh Soares disse... - Responder comentário

Bom dia Lily, acho que esse projeto vai ajudar não só a voçês, ajudará também muitas leitoras que problemas com o consumo exagerado, sim me incluo em "muitas leitoras" eu sempre digo que vou economizar por um tempo, mas parece impossivel, toda vez que passo em frente uma fast fashion tenho que entrar "para dar uma olhadinha" e sempre saio com sacolas, espero apender a me controlar tbm (:


Beijos

stephanydiz.blogspot.com.br

Lual disse... - Responder comentário

tb me sinto mais bonita de roupa nova, lily!! que coisa, né? as roupas acabam ficando novas para sempre, né?
tô ansiosa. :-)

Ana Luiza disse... - Responder comentário

Que máximo isso, AMEI! Também quero fazer parte! heheheh
Pois eu também sou MUITO consumista. Mas não para roupas e sapatos, e sim, para momentos mesmo. ADORO sair para jantar com os amigos e/ou o namorado, tomar um bom vinho, uma cerveja especial. Ou mesmo, comprar queijos gostosos para cozinhas coisas boas, o que me dá muito prazer. Mas ainda assim, acho que gasto muito nisso...
Quanto ao consumo consciente, sou bem chata para compras, o que ajuda bastante. Olho as peças 50 vezes para ver se o acabamento é bom e se vale o custoXbenefício. Penso no que vai combinar com ela, quais os "looks" possíveis e por aí vai.
Outra coisa que diminuiu um pouco meu consumo, é o fato de não comer carne vermelha e ser politicamente correta (até demais. hehe). Sim, acredite, isso é um fator importante, pois procuro muito por sapatos e roupas ecológicas, de preferência que não sejam de couro, e não compro em lojas que tem envolvimento comprovado com práticas que ferem o humano, como o trabalho escravo, caso da Zara e algumas outras fast fashions. Também tenho o hábito de comprar em brechós, o que faz o orçamento render, pois encontro muitas peças a preços módicos. Bom, acho que é mais ou menos isso! :)
Beijão e parabéns pela iniciativa!

Postar um comentário

Meu jardim está florido.
E o seu?

Posts Relacionados