Chances de os brasileiros conseguirem iniciar a formação profissional

O programa foi pensado para aumentar as chances de os brasileiros conseguirem iniciar a formação profissional. Por isso, as redes parceiras estão espalhadas por todo o Brasil. Mas, existe uma prioridade de candidatos que devem receber as bolsas:

  • Estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos;
  • Trabalhadores;
  • Beneficiários dos programas federais de transferência de renda (Bolsa família);
  • Estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública.

A preocupação é atingir: jovens, pessoas de baixa renda e em vulnerabilidade social. Já que os programas do governo são criados justamente para atender as necessidades das minorias.

Entenda ainda sobre o Calendário do Programa Bolsa Família 2019.

Inscrição PRONATEC

Os interessados podem fazer a inscrição no programa por meio da página virtual. No espaço também é possível consultar vagas nas instituições de nível: estadual, federal e no SENAI, SENAC, SENAR e SENAT.

Acesse o portal de inscrição PRONATEC

Preencha os filtros para saber onde há vagas. Quando não existem oportunidade, uma tarja em vermelho fica disponível. Selecione ‘clique aqui’ para ser avisado sobre oportunidades.

Algumas escolas e centros educacionais autorizam que a inscrição seja feita diretamente na unidade. O candidato precisa comparecer até o local para verificar o banco de oportunidades.

Situação econômica traz incerteza no recebimento de benefícios aos trabalhadores

Em meio as definições econômicas que o país enfrenta em 2018, muitos trabalhadores continuam com a incerteza se ainda receberão seus benefícios em 2019, por causa da forte crise econômica que abateu o país nesse ano. Afinal: Como funcionará o calendário PIS 2019 com a crise financeira que o país pode enfrentar no próximo ano? Confira a seguir.

Incertezas para o próximo ano

O Brasil enfrenta em 2018 várias incertezas econômicas: o calendário do PIS, por exemplo, foi esticado até o primeiro semestre de 2019, alguns benefícios do Governo foram parcialmente cortados, como foi o caso do FIES e dos financiamentos do Minha Casa Minha Vida, e como deverá ser o caso do ciências sem fronteiras.

Apesar dos cortes parciais nos benefícios de educação e financiamento, o PIS é um benefício do Trabalhador garantido por lei a milhões de brasileiros, que não pode simplesmente ser cortado. Por isso, em 2018, o Governo, como uma forma de corte de gastos para manter o orçamento nos trilhos, protelou o pagamento dos últimos benefícios do PIS e do PASEP para o primeiro trimestre de 2019. Isso representou uma grande economia para o orçamento de 2018, mas um aumento dos gastos para o orçamento de 2019.

Afinal: em 2019, o orçamento do Governo pode comprometer o PIS? É pouco provável, afinal os benefícios ligados ao trabalho são muito sensíveis para a atual gestão do Planalto, por isso é possível que o país encontre outras formas de cortar gastos para o orçamento antes de ameaçar qualquer benefício.

É possível, entretanto, que o Governo busque uma maneira de mudar as regras para tornar o programa mais restrito, com menos beneficiários, através do enrijecimento das regras para o acesso ao abono salarial. Isso pode ocorrer, se o Governo conseguir articular uma coalizão na Câmara dos Deputados.

E o Bolsa Família?

Muito pouco provável que o Governo ouse ameaçar o Bolsa Família, afinal é uma das principais bandeiras do Governo os benefícios que concederam nos últimos anos. O benefício trouxe muitos ganhos sociais para o país, e cortar ele agora, seria um tiro no pé da gestão, que perderia apoio das classes mais desfavorecidas do Governo.

Não é descartado, entretanto, que possam haver certas mudanças no calendário do Bolsa Família, embora isso seja pouco provável: seria o último caso, protelar ou parcelar os pagamentos dos benefícios para aliviar as contas do Governo. Nesse cenário as contas do Estado teriam que estar muito comprometidas, uma situação que seria, a grosso modo, vender o almoço para comprar a janta.